Despojos de uma vida

Photo : KaDDD

Passei por este mundo como tantos,
Mas amei como tão poucos.
Vivi, sem pressa, sem medo, sem prantos
Fazendo dos dias enfadonhos momentos loucos.

Caminhei com os pés bem assentes
Nesta terra que suavemente me acolheu
E me deixou partir livre e sem correntes,
Sem me esquecer de tudo o que ela me deu.

Finalmente, sou apenas espírito e recordação
E uma imensa saudade do que não vivi.
Resta-me esquecer o tempo, essa prisão,
Fechar os olhos e pensar em ti.

Vês essa estrela, ao longe, no céu
Que brilha no firmamento?
Pequenina e insignificante, assim sou eu
E venho dizer-te que a vida é um breve momento.

Filipa Moreira da Cruz