Alma

Photo : KaDDD

Ó alma desgarrada
Que andas por aí à solta.
Tropeçando nos desvarios de tanta gente louca.

Arranca-me deste corpo,
Eu a ti já não pertenço.
Quero sobrevoar o mundo
Para visitar o que já não conheço.

Tristes aqueles que sabem tudo
E mais infelizes ainda os que não querem ver.
O universo é infinito, mas o fim está tão perto…

No deserto, nas montanhas, nos rios
E por esse mar adentro
O ter já deixou o ser.

Somos pequenos e insignificantes
E enchemos de nada coisa nenhuma.
Ó alma desgarrada,
Une-te a mim e sejamos uma!

Filipa Moreira da Cruz

7 réflexions sur “Alma

Les commentaires sont fermés.