(In)Gratidão

Photo : Filipa Moreira da Cruz

Ligeira vai pela calçada
Esta moça bem humorada.

Não tem tempo a perder
Passa a vida a correr.

Nunca presta atenção
A quem lhe estende a mão.

Esmola?! Isso é que não!
Vai trabalhar, calão!

É vaidosa e caprichosa
Acha que tem sempre razão.

Julga que o poder dá tudo
E que o dinheiro comanda o mundo.

Talvez não esteja enganada
Mas a vida assim não sabe a nada.

O respeito não tem preço
É muito mais que adereço.

E quando o espírito é pobre
Ouro nenhum o encobre.

Se a calçada pudesse falar
Ai, as histórias que ela teria para contar!

Filipa Moreira da Cruz