Serenidade

Percorro as ruas desertas da cidade
Um templo de paz e de serenidade
Subo colinas, ruelas e muralhas
Liberto-me das minhas antranhas
Abrigo-me nas suas artérias
Quem me dera regressar a estas férias!
Os jardins estão imaculadamente
Limpos e ordenados
Silêncio, que se vai cantar o fado?
Sinto falta do barulho, da confusão
Não sou capaz de ouvir o meu coração
Sonho ou realidade?
Pouco importa!
Estou apixonada pela cidade.

Filipa Moreira da Cruz

Photos : Filipa Moreira da Cruz

11 réflexions sur “Serenidade

  1. Bem isso. Toda vez que saio de Porto Alegre, não importa para onde, o que mais faço é caminhar pela cidade em que estou, sentar em uma cafeteria de frente para a rua e com um bom café olhar o movimento. Gosto de viver o lugar e então sentir a paz, a tranquilidade de tudo que pude viver. Post que me trouxe muito. O meu abraço carinhoso.

    Aimé par 1 personne

Les commentaires sont fermés.