Janela indiscreta

Photo : Paul Laurent Bressin

De minha janela
A vista é singela
Oiço assobios de pássaros
Coleciono pedaços
Cheiro a fragrância da Primavera
Anseio pela doce espera
Da minha janela
A história é digna de uma novela
Um vaivém de gente
Todos seguem a corrente
Um rodopio, uma azáfama
Focos, luz e fama
Da minha janela
A vida é terna e bela
O mar está sempre presente
E eu sou a sua confidente
O sol ilumina os dias mais tristes
Basta-nos coisa pouca para sermos felizes.

Filipa Moreira da Cruz

11 réflexions sur “Janela indiscreta

Les commentaires sont fermés.