Rosa ou violeta?

Circunda-te de rosas, ama, bebe e cala. O mais é nada.

Fernando Pessoa

Todos querem o perfume das flores, mas poucos sujam as suas mãos para cultivá-las.

Augusto Cury

Photos : Filipa Moreira da Cruz, Anne-Hortense e Paul Laurent Bressin

Uma página em branco

Photo : Filipa Moreira da Cruz

Recomeçar
Recriar
Reciclar
Reiniciar
Reabilitar
Redecorar
Reutilizar
Reajustar
Reabrir
Ressentir
Resumir
Reacender
Reflorescer
Renascer.

Filipa Moreira da Cruz

Photo : Filipa Moreira da Cruz

Saumur

Ville magique bercée par la Loire
Protegée par le château en haut de la coline
Rien nous échappe, on veut tout voir
Au pas, au trot, au galop
Les cheveaux sont libres
De chasser leur destin
Les humans eux, sont plus lâches
Et se contentent d’un bon verre de vin.

Filipa Moreira da Cruz

Photos : Filipa Moreira da Cruz

A walk in the park

Sometimes life sucks
And everything goes wrong
Without any reason
No matter what you do
No matter how far you go
No matter how hard you try
No matter how high you aim
No matter how much you give
It’s never good enough
Suddenly you realise
All you need is a walk in the park.

Filipa Moreira da Cruz

Photos : Filipa Moreira da Cruz

Notes {1134}

Once again, from DiosRaw… 💙🙏🏻 Thank you dear Amber!

Notes {1134}

Notes {1131}

From DiosRaw ❤ Thank you Amber for this powerful message. 🙏🏻

Notes {1131}

Street art

Orange is the happiest colour.

Frank Sinatra

Orange is red brought nearer to humanity by yellow.

Wassily Kandinsky

Photos : Filipa Moreira da Cruz

Crianças hiperativas ou pais hiper passivos?

Photo : KaDDD

Nos dias de hoje, « qualquer diferença torna-se uma patologia ». Quem o disse foi o pedopsiquiatra francês Thierry Delcourt. Segundo o mesmo, nos últimos 15 anos, o número de crianças diagnosticadas como hiperativas ou autistas aumentou consideravelmente e as políticas dos atuais governos contribuem (e muito!) para esta triste realidade.

Em certos Estados Norte Americanos, 25% das crianças, de uma mesma classe, são medicadas contra a própria vontade dos pais. Os professores são obrigados a vigiar que cada aluno toma os comprimidos antes de entrar na sala, sob pena de sanções. Os laboratórios farmacêuticos fazem a lei e os dirigentes políticos alimentam este poderoso lobby.

Durante vários séculos, as crianças eram consideradas como acessórios. Nas famílias mais pobres eram mais bocas para alimentar e mais braços para trabalhar, enquanto nos meios sociais abastados não passavam de criaturinhas barulhentas e mantidas à distância, graças às incansáveis amas.

Avançamos nos direitos dos mais novos e nos deveres dos mais velhos. Pais, educadores, tutores, professores têm responsabilidades e obrigações. Afinal, só tem filhos quem quer… Ou pelo menos, deveria ser assim. Muitas vezes, a hiperatividade infantil é vista como um flagelo e nada melhor que administrar as pastilhinhas às crianças.

Photo : KaDDD

O sistema de ensino ainda não é capaz de moldar-se aos tempos atuais. Continua rígido e intransigente. Exige que as crianças aprendam a ler e a contar ao mesmo tempo. Não valoriza as aprendizagens transversais, a criatividade nem a espontaneidade. Felizmente, há exceções como a escola da Ponte em Portugal e os sistemas Waldorf, Montessori e « Amara Berri ». Os meus filhos tiveram a sorte de integrar este último quando vivemos em San Sebastian e nas Canárias.

Surpreende-me e choca-me a quantidade de crianças francesas que frequentaram e ainda frequentam os terapeutas da fala e os ortofonistas. O meu marido ficou traumatizado com os 8 anos passados a deletrear. E tudo por ser canhoto! Uma amiga que é ortofonista explicou-me a pressão a que estão submetidos para ensinar a ler e a escrever a crianças sem qualquer problema, para aliviar os professores e os encarregados de educação. Um absurdo! Ela teve a coragem de recusar e passou a tratar pacientes que sofreram AVC ou traumas. Não entende porque razão esta profissão está sob a tutela do Ministério da Educação e não do da Saúde, como seria de esperar.

A minha mãe foi professora do ensino básico durante mais de 40 anos e uma das minhas irmãs é educadora de infância. São as duas bastante críticas em relação ao desfasamento entre a escola e as necessidades das crianças e isso já lhes valeu algumas disputas. O que me admira é que os recém licenciados são ainda mais retrógradas que as gerações anteriores. Saem das universidades formatados e convencem os pais de que os seus filhos têm um problema e precisam de ser seguidos pelo psicólogo.

A sociedade obriga, desde a mais tenra idade, a encaixar no molde porque dá menos dores de cabeça se formos todos iguais. Mas que aborrecido seria se gostássemos todos de azul e de gelado de morango! As crianças são hiperativas porque transbordam de energia e reclamam atenção. Quanto aos pais, muitas vezes, são passivos por falta de vontade e de tempo. 

Filipa Moreira da Cruz

Incapaz de restaurar un mundo que ha roto, el ser humano ambiciona conquistar el universo

SANTIAGO GALICIA ROJON SERRALLONGA Derechos reservados conforme a la ley/ Copyright Incapaz de restaurar el mundo que ha roto, el ser humano ambiciona conquistar otros planetas, no con la idea de extender la vida y transformar el universo en hogar apacible y en paraíso colectivo; su anhelo e interés consisten, principalmente, en dominar, someter y […]

Incapaz de restaurar un mundo que ha roto, el ser humano ambiciona conquistar el universo

Perspectives

Il me souffle des mots tendres à l’oreille
Mais ses gestes sont maladroits et toujours pareils
Son esprit est plein de douceur
Mais son corps refuse le bonheur
Il resiste
Il insiste
Il obéit
Il sourit
Il repousse
Il fremousse
Il gomme
Il fredonne
Il déborde d’audace
Mais le moindre effort l’agace
La melancolie prend le dessus
Hélas, la passion est décousue.

Filipa Moreira da Cruz

Photos : Filipa Moreira da Cruz