Campo de espigas

Espigas ao vento
Esperança e alento
Campo verde e florido
Amor presente e sentido
Nuvens brancas ou cinzentas
Na paisagem que integras
Andorinhas a voar
Pássaros a cantar
Sol tímido e fugaz
E a chuva que o céu traz
Lembram-nos qua a mãe Natureza
É pura magia e beleza.

Filipa Moreira da Cruz

Photos : Filipa Moreira da Cruz

Um suspiro

A vida é breve, um dia estamos aqui
E no outro, de partida para outro lugar
Não te preocupes, é mesmo assim
Só nos resta desfrutar!
O agora é um momento efémero
E o depois, quem sabe o que nos reserva?
Perseguimos a quimera do eterno
A nossa mente é perversa
Hoje ainda respiro
E sou feliz por ter-te comigo
Amanhã talvez acabe num suspiro
Mas disso encarga-se o universo meu amigo.

Filipa Moreira da Cruz

Photos : Filipa Moreira da Cruz

Fun fair

We don’t stop playing because we grow old; we grow old because we stop playing.

George Bernard Shaw

Even though you’re growing up, you should never stop having fun.

Nina Dobrev

Have fun, even if it’s not the same kind of fun everyone else is having.

C. S. Lewis

Photos : Filipa Moreira da Cruz

Quem disse…?

Quem disse que a água não tem sabor?
Que o silêncio não se ouve?
E que tudo tem cheiro?
Quem disse que a relva é verde?
Que o céu é azul ou cinzento?
E que as nuvens são brancas?
Quem disse que sucesso é ter dinheiro?
Que não fazer nada é preguiça?
Que solidão é estar só?
Quem disse que o amor não dói?
Que apenas os gatos têm sete vidas?
Que a vida já está traçada?
Quem disse tudo isso e mais ainda?

Filipa Moreira da Cruz

Photos : Filipa Moreira da Cruz

Étonnement joyeux

Au bord de la Rance
Le jour s’infiltre sous ma peau
Le soleil prend son temps pour me réchaufffer
Il joue au cache-cache
Les nuages sont si proches
Que je peux presque les caresser
J’avance doucement
Pour donner le sentiment d’arriver quelque part
Je tâtonne sans m’encombrer de problèmes
Je savoure un simple trésor
Je vis!

Filipa Moreira da Cruz

Photos : Filipa Moreira da Cruz

Reflexos

Reprise

Quero a delícia de poder sentir as coisas mais simples.

Manuel Bandeira

Reflexos de uma vida
Sofrida, esprimida
Turbilhão de sonhos
Movimentos enfadonhos
Serpentinas de prazer
Para satisfazer os caprichos do ser
Gestos automáticos
Olhares baços, mas francos
Despojos de uma lembrança
A tempestade já virou bonança.

Filipa Moreira da Cruz

Photos : Filipa Moreira da Cruz

Tristeza

Primeiro me acabou o riso, depois os sonhos, por fim, as palavras. É essa a ordem da tristeza.

Mia Couto

O riso veste a alma com as cores do arco-íris
Os sonhos dão-nos asas
Sem eles, apenas existimos
As palavras são a voz do que nos vai no coração
Mas então, temos o direito de estar tristes?
Claro! E lá, a razão sobrepõe-se à emoção
Às vezes a alma tem de ser limpa
Para isso servem as lágrimas
As asas podem quebrar
Os sonhos dissipam-se no ar
E quando ficamos mudos
Sem palavra para tudo?
O importante é que a tristeza
Não seja eterna
E que possamos ver no sol de Inverno
A alegria da Primavera.

Filipa Moreira da Cruz

Photo : Paul Laurent Bressin

Street art

Everything you can imagine is real.

Pablo Picasso

If I could say it in words there would be no reason to paint it.

Edward Hopper

Photos : Filipa Moreira da Cruz

Street art

Art is the lie that enables us to realize the truth.

Pablo Picasso

The world always seems brighter when you’ve just made something that wasn’t there before.

Neil Gaiman

Photos : Filipa Moreira da Cruz

Desfolhada

Reprise

A minha pele tem rugas e fendas
Os meus olhos conhecem segredos
E apenas tu os desvendas
As nossas vidas seguem caminhos
Que parecem labirintos intermináveis
Os sonhos não se perdem
Mas alguns erros são irreparáveis
As minhas mãos apenas pedem
Que as cuides para sempre
Baloiço ao vento
Humor frio, suor quente
Rio e choro ao mesmo tempo
Viajo até à tua mente, mas regresso
De pés descalços e asa quebrada
O mundo está virado do avesso
A minha alma está desfolhada.

Filipa Moreira da Cruz

Photos : Filipa Moreira da Cruz