L’amour

Sébastien Sabouret

Il nous appelle par nos prénoms, doucement
Chaud comme le soleil, sauvage comme le vent
La raison de notre existence
Capable d’apaiser toutes nos souffrances
Il vient, il s’en va
Il existe, mais on ne le voit pas
Vous l’avez deviné… bien sûr!
Et pourvu que ça dure toujours.

Filipa Moreira da Cruz


Love

Love is a blue sky on a winter day
Knowing that tomorrow is already today
Love is whishing the sun will never sleep
So, the moon he shall meet
Love is softness and kindness
White and smooth like the snow
Love is here and now
Keep trying, give me hope
Love is all we have
And it will save us in the end.

Filipa Moreira da Cruz

Photos : Paul Laurent Bressin

Amizade improvável

Photo : KaDDD

O leão diz à formiga
És tão pequenina!
A formiga responde
Não imaginas a minha sorte!
Posso fazer mais do que tu que és tão forte
Quando chove, abrigo-me debaixo de uma folha
Sempre que há festa, voo em cima de uma rolha
Nos dias de sol abrasador
Uma simples pedrinha protege-me do calor
E quando estou chateada com o mundo
Basta-me respirar fundo
E tu gigante leão
Diz-me o que fazes então?
Onde é que te escondes
Quando não queres que ninguém te encontre?
O que fazes para ter paz e sossego?
Será que esse corpo enorme te dá aconchego?
Queres ser meu amigo?
Eu…a passear contigo?!
Se quiseres posso fazer-te cócegas
Quando tiveres comichão nas costas
E vais adorar fingir que falas sozinho
Os outros vão pensar que estás louco
Não lhes dês troco
Juntos seguiremos o nosso caminho
Por que não!?
Já estou cansado da solidão
Vai fazer-me bem um pouco de distração
E quem sabe…
Talvez seja o início de uma bonita amizade.

Filipa Moreira da Cruz

Survivre

Photo : Filipa Moreira da Cruz

Ma peau est écorchée
Couverte de cicatrices et de plaies
J’oublie les traits du passé
Et je suis mon chemin
Sans regrets ni rancune
Je ne pense plus au lendemain

Je marche parmi la foule
Qui s’engouffre
Se méprise et déambule
Je regarde le vide
Je deviens transparent
Mons corps est si rigide

Je ferme les yeux un instant
Assez pour sentir
La main qui se pose sur moi
Et me redonne du plaisir
Je respire à nouveau
Je résiste, grâce à toi
Pour nous, j’existe.

Filipa Moreira da Cruz

Persistencia

Photo : KaDDD

El gato de la vecina le dice
Si no puedes volar, camina
Pero el pájaro no le escucha
Y sigue con su lucha

El gato se rie del chiste
El pájaro no se rinde, resiste
El gato, ya enfadado, decide ayudarlo
Haz lo que te digo y saldrás volando

¡No puedo, tengo miedo!
¿ Te cuento un secreto?
Yo también estaría assustado
¿ No te estás burlando?

El gato subió a una silla
Y le cuidó su herida
El pájaro olvidó su dolor
Abrió sus alas y abrazó la vida.

Filipa Moreira da Cruz







Quimera

Photo : Filipa Moreira da Cruz

O tempo não para
O silêncio é coisa rara
Queremos o que não temos
Desejamos o que já tivemos
Percorremos o mundo
Sem respirar um segundo
Somos escravos da multidão
Não sabemo viver com a solidão
Vamos longe e não encontramos
Tudo aquilo que buscamos
Porque não olhamos
Para o que temos debaixo do nosso nariz
Regressamos de mãos vazias
Com a alma feita em pedaços
Apanhamos os cacos
Tentamos curar os males do coração
Perdemos o chão
Vivemos na ilusão
De que um dia seremos felizes
Mas esquecemo-nos das nossas raízes
E se deixassemos de percorrer uma quimera?
E começassemos a viver os nossos sonhos
Como se todos os dias fossem uma doce Primavera?

Filipa Moreira da Cruz

Lado lunar

Photo : Filipa Moreira da Cruz

Tu és sol, alegria, vida
A minha luz, o meu guia
Conheço o teu riso
Adoro as tuas gargalhadas
O teu humor, as tuas charadas
Está na hora de partilhares os teus medos
Quero perder-me nos teus segredos
Mais íntimos e profundos
Sejamos apenas um
Não tenhas receio
O amor também é feito
De dúvidas e incertezas
São elas que nos dão forças
Para continuar o caminho
Comigo nunca estarás sozinho
Apaixonei-me pelo teu lado solar
Mas prefiro enamorar-me do teu lado lunar.

Filipa Moreira da Cruz



The dark side

Photo : KaDDD

Don’t show me your bright face
I’ve seen it already
Don’t share only your dreams
I’d rather prefer if you confess your griefs
Don’t pretend what you are not
With me, you can be honest
Don’t hide your fears
Together we will face them
Don’t cry in silence
Your also beautiful when you’re sad
Don’t be afraid
I’ll never judge you
Don’t push me away
I’m here to stay
Don’t reject love
Because ours will never die.

Filipa Moreira da Cruz

Through the path

Photo : Filipa Moreira da Cruz

Nobody said it was easy
But I never thought it would be so hard
Do not judge me before knowing my story
Because apparences can mislead you
I look strong, I know
Take a closer glimpse and you’ll see how fragile I am
Keep the faith, mother Earth protects you
Release yourself from your demons and ghosts
I will always be by your side
No matter what life may bring
Don’t listen to your anger
Stay focus on your path
Again and again.

Filipa Moreira da Cruz

Porta

Photo : Filipa Moreira da Cruz

Porta trancada
Toda escaqueirada
Porta fechada a sete chaves
Escrava de caprichos e necessidades
Porta usada, velhinha
Pequena e castanhinha
Porta com cadeado
Grande e codificado
Porta que apenas conhece sonhos
Os meus, os teus, os nossos
Porta que foge da realidade
E esconde a verdade
Porta redonda, quadrada
Que me acolhe quando estou cansada
Porta que rebenta, explode
Que apenas aguenta o que pode
Porta que ouve desaforos e gritaria
Que sofre com a minha correria
Porta da casa, do prédio, da mansão
A melhor de todas é a do meu coração.

Filipa Moreira da Cruz

Créez votre site Web avec WordPress.com
Commencer
%d blogueurs aiment cette page :