El azul del mar

Photo : Paul Laurent Bressin

Todos los días son domingos
Lentos y perezosos
De esos en que hasta hacer nada
nos cuesta trabajo
Los enfados empiezan sin razón
Y terminan con un fuerte abrazo
Sin miedo, miramos hacia adelante
El horizonte es el único testigo
De nuestros sueños más íntimos
El tiempo no corre, vuela
Y la vida es un breve suspiro
¿A qué estamos esperando?
¡Salgamos a disfrutar del azul del mar!

Filipa Moreira da Cruz



Um dia…

Photo : Filipa Moreira da Cruz

Certo dia, a menina perguntou ao pai:
– Quando vou ver o mar?
O pai, distraído, respondeu:
– Um dia…
A menina não desistiu. E no dia seguinte perguntou:
– Quando vamos passear juntos?
A resposta do pai foi a mesma:
– Um dia…
A menina cresceu e continuou a questionar-se quando iria andar de comboio, quando teria um bolo de aniversário, quando brincaria com o pai.
O progenitor, demasiado ocupado, adiava os momentos a dois.
Os anos voaram, o pai envelheceu e morreu. A menina foi mãe e, certo dia, o seu filho começou:
– Mãe, quando…?
A menina de outrora, sem sequer ouvir a pergunta, respondeu de imediato:
– Hoje!

Filipa Moreira da Cruz

¿Realidad o sueño?

Photo : KaDDD

¿Quien soy yo?
Tú eres el sol después de la tormenta
La unica estrella en el cielo
El que siempre está ahí, pase lo que pase
¿Y eso es todo?
(¡Como si fuera poco!)
Tú eres la luz en la noche oscura
La lluvia en del desierto
El que quiero a mi lado cuando me despierto
¿Y que más?
Tú eres mi guía cuando me pierdo
El que me acompaña en el silencio
Y con una mirada lo dices todo
¿Y eso te basta?
Mucho más de lo que puedas imaginar
Tal vez no seas real
Y lo que estoy viviendo es un sueño.

Filipa Moreira da Cruz

¡Cuéntame un cuento!

Es tan corto el amor y es tan largo el olvido.

Pablo Neruda

Te cuento un cuento
Si no lo sé, me lo invento
Con arándanos, frambuesas y fresas
Una caja llena de sorpresas
De todos los colores
Y de múltiples sabores
Un arcoíris de oportunidades
Un oceano de realidades

Te cuento un cuento
Si no lo sé, me lo invento
El mundo es un pañuelo
Y tengo lo que más anhelo
Veo saltimbancos y pallazos
El cielo cubierto de trozos
De un amor sincero y puro
Bello, fuerte y seguro

Te cuento un cuento
Si no lo sé, me lo invento
Que habla de un niño que se fue lejano
Pero que volverá, tarde o temprano
Hago lo que me da la gana
Soy tu amiga, tu confidente, tu hermana
Uno, dos, tres…
¿Te lo cuento otra vez?

Filipa Moreira da Cruz

Photos : Paul Laurent Bressin

Mis manos

Mis manos cuidan
Protegen y acarician
Recogen alegrías
Y muchas tonterías
En mis manos
Crecen flores de todos los colores
Y salen frutos de multiples sabores
Con mis manos salgo pescando
Niños bailando
Sueños revueltos
Rompecabezas no resueltos
Mis manos
Hacen maravillas
Por ti, lo hago todo
Basta que me lo pidas
Sin mis manos
¿Cómo lo disfrutarías?

Filipa Moreira da Cruz

Photos : Filipa Moreira da Cruz

Flores y colores

Reprise

Me miras y tiemblo
Pierdo mi rumbo
Y encuentro la paz en tu jardín secreto
Escucho « te quiero »
Y casi me muero
Tus caricias son delicadas como las mariposas
Tus besos son dulces como las fresas
Y las flores en el camino
Ay casi me olvido…
Son los colores que dan vida y alegría
A los días más tristes e insípidos.

Filipa Moreira da Cruz

Photos : Paul Laurent Bressin

Quem disse…?

Quem disse que a água não tem sabor?
Que o silêncio não se ouve?
E que tudo tem cheiro?
Quem disse que a relva é verde?
Que o céu é azul ou cinzento?
E que as nuvens são brancas?
Quem disse que sucesso é ter dinheiro?
Que não fazer nada é preguiça?
Que solidão é estar só?
Quem disse que o amor não dói?
Que apenas os gatos têm sete vidas?
Que a vida já está traçada?
Quem disse tudo isso e mais ainda?

Filipa Moreira da Cruz

Photos : Filipa Moreira da Cruz

Desfolhada

Reprise

A minha pele tem rugas e fendas
Os meus olhos conhecem segredos
E apenas tu os desvendas
As nossas vidas seguem caminhos
Que parecem labirintos intermináveis
Os sonhos não se perdem
Mas alguns erros são irreparáveis
As minhas mãos apenas pedem
Que as cuides para sempre
Baloiço ao vento
Humor frio, suor quente
Rio e choro ao mesmo tempo
Viajo até à tua mente, mas regresso
De pés descalços e asa quebrada
O mundo está virado do avesso
A minha alma está desfolhada.

Filipa Moreira da Cruz

Photos : Filipa Moreira da Cruz

Abençoada loucura

Photo : Filipa Moreira da Cruz

Loucos são aqueles que ousam ser felizes
E pintam o dia com diferentes matizes
Fazem as pazes com o medo
A vida é um maravilhoso segredo
Prestes a ser desvendado
Esse tesouro tão bem aguardado
Cabe na mão, no peito
Embora de infinito seja feito
Loucos são aqueles que buscam a verdade
Em nome da tal liberdade
Perseguem sonhos
E falam baixinho com anjinhos
Acreditam em fadas
E partilham histórias inventadas
Guiam-nos por labirintos
Dispersos em vários recintos
Louca serei eu também
Por confiar de olhos fechados na minha mãe
Um amor ímpar e verdadeiro
Será sempre o primeiro
A nascer, a crescer, a voar
Libertando-se do céu e do mar
Uma estrela que brilha no firmamento
Solta, num total desprendimento.

Filipa Moreira da Cruz

Coração violeta

Ama-se quem se ama e não quem se quer amar.

Florbela Espanca

Em vez da felicidade, eu acredito na harmonia, penso que o amor é o encontro da harmonia com o outro.

José Saramago

Amar alguém ou alguma coisa é primacialmente instalá-lo num clima de plena liberdade, com todos os riscos que a liberdade comporta: desejar é limitar na liberdade; a nós e aos outros.

Agostinho da Silva

Amar os outros é a única salvação individual que conheço: ninguém estará perdido se der amor e às vezes receber amor em troca.

Clarice Lispector

Photos : Filipa Moreira dac Cruz