Jogo cromático

Reprise

Verde é a minha esperança
Num mundo mais justo
Azul são os sonhos infinitos
No céu que abraça as nuvens
Verde é a felicidade de rebolar na relva
Num dia de Primavera
Azul é o desejo de ternura
Como o mar que embala os barcos
Verde é a resiliência necessária
Para seguir em frente
Azul é a alma melancólica
Nos dias de chuva
Verde é o corpo nos dias
Em que espreita o sol.

Filipa Moreira da Cruz

Photos : Filipa Moreira da Cruz

El azul del mar

Photo : Paul Laurent Bressin

Todos los días son domingos
Lentos y perezosos
De esos en que hasta hacer nada
nos cuesta trabajo
Los enfados empiezan sin razón
Y terminan con un fuerte abrazo
Sin miedo, miramos hacia adelante
El horizonte es el único testigo
De nuestros sueños más íntimos
El tiempo no corre, vuela
Y la vida es un breve suspiro
¿A qué estamos esperando?
¡Salgamos a disfrutar del azul del mar!

Filipa Moreira da Cruz



Pintado de azul

Reprise

Azul intenso, profundo…efémero?
Néctar sublime e adúltero
Espelho grande, imenso, infinito
Que cabe no bolso para estar sempre comigo
Um mar de oportunidades
Um oceano de saudades
Um rio de emoções
Um riacho de sensações
Azul de Norte a Sul, de Este a Oeste
Percorreste o mundo, mas regressaste
Devolveste-me o que perdi
Trouxeste o que te implorei
Do meu universo és rei
E não quero viver sem ti.

Filipa Moreira da Cruz

Photos : Filipa Moreira da Cruz, KaDDD e Paul Laurent Bressin

Azzurro

Reprise

Un matin, l’un de de nous manquant de noir, se servit de bleu : l’impressionnisme était né.

Pierre-Auguste Renoir
Photo : Filipa Moreira da Cruz

 “Y todo ardía en azul, todo una estrella”.

Pablo Neruda

Blue has no dimensions, it is beyond dimensions, whereas the other colours are not….

Yves Klein
Photo : Filipa Moreira da Cruz

Naquele dia, fazia um azul tão límpido, meu Deus, que eu me sentia perdoado para sempre. Nem sei de quê.

Mario Quintana
Photo : Filipa Moreira da Cruz

Para vermos o azul, olhamos para o céu. A Terra é azul para quem a olha do céu. Azul será uma cor em si, ou uma questão de distância? Ou uma questão de grande nostalgia? O inalcançável é sempre azul.

Clarice Lispector

Mar adentro

O mar é o habilidoso desenhador de ausências.

Mia Couto
Photo : Filipa Moreira da Cruz

Quando a alma está doente
E a esperança mais ausente
Tranquiliza-me o azul do mar
Sinto-me livre, quase a levitar
Sempre que a saudade me apodera
Mergulho numa quimera
Sou embalada pelas ondas
E esqueço palavras hediondas
Talvez seja o verde esmeralda
Que me tem mantido acordada
Ou será o reflexo na água
Que me devolve a esperança recuperada?
Afortunada sou eu por te ter ao meu lado
Mar adentro, mar abençoado.

Filipa Moreira da Cruz

23

Photo : Filipa Moreira da Cruz

1 mirada
2 besos
3 alitas de pollo
4 abrazos
5 de la tarde
6 tazas de té
7 olas del mar
8 fotos antiguas
9 ancianos charlando
10 dedos de la mano
11 de la noche
12 campanadas
13 que no sea un martes
14 amigos
15 calamares fritos
16 cucharadas
17 kilómetros
18 sueños infinitos
19 duendes
20 lágrimas
21 niños jugando
22 chistes
23 ¿otra vez?

Filipa Moreira da Cruz

Azul del Sur

Azul fresco del mar
Magia, alegría y bienestar
Azul sublime del cielo
No sabes lo mucho que te quiero
Azul profundo de mis secretos
Sin subterfugios ni miedos
Azul penetrante de mi alma
Espejo que me devuelve la calma
Azul infinito de mi tierra
Más allá de lo que el mundo encierra.


Filipa Moreira da Cruz

Photos: Paul Laurent Bressin

Street art

Dentro de nós há uma coisa que não tem nome, essa coisa é o que somos.

José Saramago

Se podes olhar, vê. Se podes ver, repara.

José Saramago

Photos : Filipa Moreira da Cruz

Palabras en el aire

Reprise

Silencio que me recibe como una caricia
Brisa que me recuerda la primavera
Verde que me devuelve la esperanza
Azul infinito e intenso, tan cerca y tan lejos
Camino que me lleva a donde nunca he estado.

Filipa Moreira da Cruz

Photos : Filipa Moreira da Cruz


Golf du Morbihan

Reprise

Confinados, mas sem amargura
Decidimos partir à aventura
Descobrir outras terras e outras gentes
Sem sair da nossa região
Respeitamos as regras e desafiamos a tradição
Desta vez, não fomos à terrinha
Optamos pela sensatez
Portugal, fica para uma próxima vez.

Filipa Moreira da Cruz

Photos : Filipa Moreira da Cruz