Paradoxo

Às vezes, julgo-me fútilOutras, nem por issoPor vezes, imagino-me imortalOutras, apetece-me fechar os olhosE partir… para bem longeAlgumas vezes, pretendo alcançar tudoOutras, limito-me a agarrarO que está aqui ao ladoPoucas vezes, penso em mimOutras, não há espaço para tiRaras vezes, resisto à tentaçãoOutras, impeço-te de ser felizÀs vezes, penso que sou especialOutras, apercebo-me que valhoLire la suite « Paradoxo »

Créez votre site Web avec WordPress.com
Commencer