Gratidão

Reprise

Sou grata pelo que tenho
Agredeço tudo o que a vida me oferece
Vivo o presente porque ontem já não me pertence e não sei o que amanhã me reserva
Obrigada!

Filipa Moreira da Cruz

Photos : Filipa Moreira da Cruz

Corps

Tatoué
Immaculé
Gavé
Affamé
Noir
Blanc
Musclé
Mou
Convoité
Négligé
Petit
Grand
Boudiné
Affiné
Jeune
Vieux
Abimé
Préservé
Lisse
Rugueux
Aimé
Détesté
Mutilé
Intact
Montré
Caché
Abandonné
Chouchouté
Violé
Épargné
Travesti
Investi
Déchiré
Entier
Habillé
Nu
Debout
Couché
Délassé
Transporté
Masculin
Féminin
Beau
Laid
Sale
Propre
Vivant
Mort.

Filipa Moreira da Cruz

Photos : Filipa Moreira da Cruz

A porta do paraíso

A vida é feita de escolhas
E nossas cúmplices são as folhas
Onde escrevemos a nossa história
Cada dia na Terra é uma vitória
Segue o teu caminho que eu seguirei o meu
Protegida pela natureza e o azul do céu
Quero viver em paz com a minha consciência
Ou numa constante penitência?
Prefiro a empatia e a modéstia
Ou vendo-me ao luxo e à abundância?
Abro a porta de uma prisão
Ou a janela do meu coração?

Filipa Moreira da Cruz

Photos : Filipa Moreira da Cruz

Sem medo

Photo : KaDDD

Quem tem medo não ama
Quem tem medo desanda
Quem tem medo esquece
Quem tem medo esmorece
Quem tem medo congela
Quem tem medo tagarela
Quem tem medo exclui
Quem tem medo não evolui
Quem tem medo condena
Quem tem medo ordena
Quem tem medo envelhece
Quem tem medo não esquece
Quem tem medo julga
Quem tem medo vira pulga
Quem tem medo agride
Quem tem medo não progride
Quem tem medo desespera
Quem tem medo não supera
Quem tem medo resiste
Quem tem medo apenas existe
Quem tem medo devora
Quem tem medo não chora
Quem tem medo refila
Quem tem medo exila
Quem tem medo desiste
Quem tem medo joga ao despiste
Quem tem medo balança
Quem tem medo não avança
Quem tem medo recusa-se a viver
Porque está sempre a sofrer.

Filipa Moreira da Cruz

Dérision

Photo : KaDDD

J’ai une étrange sensation de déjà-vu
Qui accompagne l’eternelle déformation
D’une réalité désossée

Les gens manquent de délicatesse
Pourvu que la défaite
Ne devienne pas un désarroi
Sinon le détachement
Conduira au désespoir

Il y aura un décalage
Entre le devoir et le dégoût
Mais, j’attends toujours le dépaysement
Qui me fera accepter des véritables défis
Dans le cas contraire, arrivera la démence

Allez, on fonce sans penser aux dégâts!
De toute façon, le monde est devenu
Corrompu de la fin jusqu’au début.

Filipa Moreira da Cruz

Jogo de sombras

Photo : Filipa Moreira da Cruz

Mau da fita
Vagabundo
Sem eira nem beira
Zé ninguém
Quebra corações
Pobre diabo
Vira casacas
Zero à esquerda
Desmancha prazeres
Manipulador de emoções
Perseguidor de sombras
Sugador de energia
Chegou
Viu
Usou
Venceu
Abusou
Deitou fora
Perdeu
Fugiu
Fim da história.

Filipa Moreira da Cruz

Amor…

Photo : Filipa Moreira da Cruz

Amor é fogo que arde sem se ver.

Luís de Camões

Amor é fogo que arde sem se ver
Amor é tudo querer
Amor é ter os pés no chão e a cabeça no ar
Amor é criar asas e voar
Amor é ser a poeira que assenta na terra
Amor é um dia fresco de Primavera
Amor é ter fome de afetos
Amor é ter sede de abraços
Amor é desejar a lua e o sol ao mesmo tempo
Amor é desafiar cada momento
Amor é tudo e nada
Amor é choro e gargalhada
Amor é passar entra as gotas da chuva
Amor é dizer as verdades sem calçar luva
Amor é uma risada disparatada
Amor é uma porta fechada
Amor é uma janela aberta
Amor é uma uma descoberta
Amor é uma aventura
Amor é não esgotar a ternura
Amor é nunca estar contente
Amor é viver o presente.

Filipa Moreira da Cruz

O meu bairro

Saint-Servan, praia Bas Sablons, torre Solidor
O meu bairro é mágico e especial
Areia dourada, água esmeralda
Do dia para a noite a paisagem muda de cor
Jogo de contrastes
Espelho de segredos.

Filipa Moreira da Cruz

Photos : Filipa Moreira da Cruz

Gratidão

Sou grata pelo que tenho
Agredeço tudo o que a vida me oferece
Vivo o presente porque ontem já não me pertence e não sei o que amanhã me reserva
Obrigada!

Filipa Moreira da Cruz

Photos : Filipa Moreira da Cruz