Um suspiro

A vida é breve, um dia estamos aquiE no outro, de partida para outro lugarNão te preocupes, é mesmo assimSó nos resta desfrutar!O agora é um momento efémero E o depois, quem sabe o que nos reserva?Perseguimos a quimera do eternoA nossa mente é perversaHoje ainda respiroE sou feliz por ter-te comigoAmanhã talvez acabe numLire la suite « Um suspiro »

En el fondo del mar

La libertad es la possibilidad del aislamiento. Si te resulta imposible vivir solo, naciste esclavo. Fernando Pessoa Sigue tu caminoEscucha tu corazónEl sabe cual es tu destinoLa vida es una bendición¿Quién dijo que iba a ser fácil?Si te caes, velves a levantarteTu cuerpo es ligero y tu espíritu es ágilSi no eres feliz aqui, noLire la suite « En el fondo del mar »

Brisa primaveril

Às vezes ouço passar o vento; e só de ouvir o vento passar, vale a pena ter nascido. Fernando Pessoa É um amigo que me chamaQue me assobia de vez em quandoInvisível e imperturbávelDança por todos os sítios por onde andoTraz um cheiro a naturezaEnvolve-me nos dias de PrimaveraÉ uma alegria, uma surpresaSão os pássarosLire la suite « Brisa primaveril »

A melodia das cotovias

Morre de sofrimento esta família que se esconde por detrás dessa janela, igual a tantas outras. Outrora alegre, esta casa está triste e melancólica, afogada nas memórias do passado. Não é azul, mas sim preta a cor que a rodeia. O vaso está quebrado, as flores murcharam e o olhar do gato ficou transparente, insípido.Lire la suite « A melodia das cotovias »

El principio del fin

Una amplia sonrisa Un olor familiarUna caricia escondidaUn paseo a orillas del marUn beso fugazAmor a fuego lentoYo me quedo y tu te vasUn perfecto incompletoAsi soy yo cuando tu no estás Dos caminos cruzadosNo más portazos ¡Jamás!Nuestros espíritus separadosEn el mismo cuerpoDos cabezas, cuatro piernasEstoy agotado, no puedo másMi corazón roto, aguenta tus penas¿ValeLire la suite « El principio del fin »

Beco sem saída

Estou num beco sem saídaEncurralada entre quatro paredesCaminho num túnel sem luzE a solidão é a minha única companhia Tu crias a tua melodiaTu voas com as tuas próprias asasTu pintas o teu quadro Certas palavras são carícias para os ouvidosOutras apenas ruídoTu escolhes as que queres ouvir Há gestos que curam as feridas maisLire la suite « Beco sem saída »

De geração em geração

Enquanto o menino olha pela janela e sonha em ser ave, flor ou raposa a professora ordena:– João, faz a lição!Ele regressa ao i esguio e arrebitado, desejando estar lá fora, do outro lado.O João cresceu e cortaram-lhe as asas. Esmoreceu.Em família de doutores e engenheiros ser amigo de bicho está fora de questão!Casou, teveLire la suite « De geração em geração »

Despojos de uma vida

Passei por este mundo como tantos,Mas amei como tão poucos.Vivi, sem pressa, sem medo, sem prantosFazendo dos dias enfadonhos momentos loucos. Caminhei com os pés bem assentesNesta terra que suavemente me acolheuE me deixou partir livre e sem correntes,Sem me esquecer de tudo o que ela me deu. Finalmente, sou apenas espírito e recordaçãoE umaLire la suite « Despojos de uma vida »

Dor

De repente, cai a máscara!Eu já não sou eu… E ainda bem!Esqueço os medicamentos e as dores,Atraso o relógio porque ainda não é hora. Dissimulo a angústia quotidiana,Retardo os efeitos secundários,Saboreio cada instante – porque seiQue este momento pode ser o último. Volto a ser criança e sou livre!Para correr, saltar, dançar.Fazer trinta por umaLire la suite « Dor »

Créez votre site Web avec WordPress.com
Commencer