Norte e Sul

Norte e sul
Este ou oeste
De cima para baixo
Sol e chuva
Vento e calor
Antípodas meteorológicos
Verão ou Inverno
Seca ou dilúvio
Caprichos da Natureza
Yin e yang
Esquerda e direita
Lados opostos
Praia ou campo
Montanha ou planície
Escolhas ocasionais
Estrada ou trilho
Avenida ou ruela
Caminhos cruzados
Riso ou choro
Tristeza ou alegria
Sentimentos conturbados
Princípio e fim
Vida e morte
Nascimento e despedida.

Filipa Moreira da Cruz

Photos : Filipa Moreira da Cruz / Paul Laurent Bressin

Quem disse…?

Quem disse que a água não tem sabor?
Que o silêncio não se ouve?
E que tudo tem cheiro?
Quem disse que a relva é verde?
Que o céu é azul ou cinzento?
E que as nuvens são brancas?
Quem disse que sucesso é ter dinheiro?
Que não fazer nada é preguiça?
Que solidão é estar só?
Quem disse que o amor não dói?
Que apenas os gatos têm sete vidas?
Que a vida já está traçada?
Quem disse tudo isso e mais ainda?

Filipa Moreira da Cruz

Photos : Filipa Moreira da Cruz

A morte pode esperar

Reprise

A vida não corre, voa
E matamos o tempo à toa
Conversa fiada
Gentinha abusada
Pensamentos mesquinhos
Sentimentos reprimidos
Para quê?
O coração sente, mas não vê
E pouco adianta sonhar
Se nunca vamos acreditar
Que melhor é possível
Cada dia é imprevisível
Não basta querer
Temos que fazer acontecer
Viver é aqui e agora
Para a morte não há hora.

Filipa Moreira da Cruz

Photos : Filipa Moreira da Cruz

Dúvidas

É difícil ter certezas quando se fala das razões do coração.

Antonio Tabucchi
Photo : Filipa Moreira da Cruz

Será que vai correr tudo bem?
Ficaremos juntos, outra vez
É importante dar valor ao que se tem
Proeza que não é para todos
E exige um grande esforço de desapego
Será que celebraremos o amor?
Com abraços, beijos e aconchego
Será que devemos lutar pelas nossas crenças?
Juntos, somos mais fortes
Sem rancor nem desavenças
Será que vamos sarar as feridas do coração?
Tentar, não custa
Basta dar asas à fantasia
E abandonar, por um momento, a razão
Será que estaremos aqui amanhã?
Isso, ninguém sabe
Aproveitemos cada instante
Sem medo de despertar de manhã.

Filipa Moreira da Cruz

Norte e Sul

Norte e sul
Este ou oeste
De cima para baixo
Sol e chuva
Vento e calor
Antípodas meteorológicos
Verão ou Inverno
Seca ou dilúvio
Caprichos da Natureza
Yin e yang
Esquerda e direita
Lados opostos
Praia ou campo
Montanha ou planície
Escolhas ocasionais
Estrada ou trilho
Avenida ou ruela
Caminhos cruzados
Riso ou choro
Tristeza ou alegria
Sentimentos conturbados
Princípio e fim
Vida e morte
Nascimento e despedida.

Filipa Moreira da Cruz

Photos : Filipa Moreira da Cruz / Paul Laurent Bressin

Quem disse…?

Quem disse que a água não tem sabor?
Que o silêncio não se ouve?
E que tudo tem cheiro?
Quem disse que a relva é verde?
Que o céu é azul ou cinzento?
E que as nuvens são brancas?
Quem disse que sucesso é ter dinheiro?
Que não fazer nada é preguiça?
Que solidão é estar só?
Quem disse que o amor não dói?
Que apenas os gatos têm sete vidas?
Que a vida já está traçada?
Quem disse tudo isso e mais ainda?

Filipa Moreira da Cruz

A morte pode esperar

A vida não corre, voa
E matamos o tempo à toa
Conversa fiada
Gentinha abusada
Pensamentos mesquinhos
Sentimentos reprimidos
Para quê?
O coração sente, mas não vê
E pouco adianta sonhar
Se nunca vamos acreditar
Que melhor é possível
Cada dia é imprevisível
Não basta querer
Temos que fazer acontecer
Viver é aqui e agora
Para a morte não há hora.

Filipa Moreira da Cruz

Photos : Filipa Moreira da Cruz

Dúvidas

Photo : Filipa Moreira da Cruz

É difícil ter certezas quando se fala das razões do coração.

Antonio Tabucchi

Será que vai correr tudo bem?
Ficaremos juntos, outra vez
É importante dar valor ao que se tem
Proeza que não é para todos
E exige um grande esforço de desapego
Será que celebraremos o amor?
Com abraços, beijos e aconchego
Será que devemos lutar pelas nossas crenças?
Juntos, somos mais fortes
Sem rancor nem desavenças
Será que vamos sarar as feridas do coração?
Tentar, não custa
Basta dar asas à fantasia
E abandonar, por um momento, a razão
Será que estaremos aqui amanhã?
Isso, ninguém sabe
Aproveitemos cada instante
Sem medo de despertar de manhã.

Filipa Moreira da Cruz