Antídoto

Deixa-me rir E da monotonia fugirMontada num cavalo de papelCoberto de flores e melÊxtase da doçura!Céu azul pintado com ternuraTodos os dias são uma brincadeiraCom permissão para fazer asneiraErrar é aprenderDar é receberA vida desliza na areia molhadaE nas ondas do mar é enroladaMedos evaporadosSegredos desvendadosPudores disfarçadosObstáculos superadosAconteça o que acontecerSeja o que Deus quiser.Lire la suite « Antídoto »

Poema colorido

Verde é este poema que nos devolve a esperançaAzuis os seus versos onde a minha alma dançaBranco é o silêncio magistral e profundoDe vermelho se veste a raiva que dura um segundoCinzentas são as nuvens num dia de tempestadeE de negro se cobre o rosto dos que não encaram a verdadeRosa é a fragrância dasLire la suite « Poema colorido »

Juicy feelings

Depois da tempestade vem a bonançaSem a monotonia não haveria mudançaA chuva limpa o corpo e a almaTrazendo resiliência e calmaQuando termina a dor chega a felicidadeSem a mentira fica a verdadeApós a infância chega a velhiceMas antes fazemos muitas tolicesFelizmente!Sempre! Filipa Moreira da Cruz Photos : Filipa Moreira da Cruz

07/10/2021

Hoje não vou escrever nem ler. Hoje não vou ligar o telefone.Hoje não vou abrir o WordPress.Hoje não vou trabalhar.Hoje não vou passear.Hoje não vou fazer esforços.Hoje pode ser o início do resto da minha vida.Ou talvez não.Pouco importa!Hoje estou ainda mais unida à pessoa que mais gosto.Coincidência ou telepatia.Longe da vista, mas muito pertoLire la suite « 07/10/2021 »

Senhor tempo

Quanto tempo tenho para percorrer o mundo?Quanto tempo tenho para fazer o correto?Quanto tempo tenho para enganar um segundo?Quanto tempo tenho para ficar por perto?Quanto tempo tenho para seguir o meu caminho?Quanto tempo tenho para estar com as pessoas que me são queridas?Quanto tempo tenho para ficar sozinho?Quanto tempo tenho para sarar as feridas?Quanto tempoLire la suite « Senhor tempo »

Jogo cromático

Verde é a minha esperança Num mundo mais justoAzul são os sonhos infinitos No céu que abraça as nuvensVerde é a felicidade de rebolar na relvaNum dia de PrimaveraAzul é o desejo de ternuraComo o mar que embala os barcosVerde é a resiliência necessária Para seguir em frenteAzul é a alma melancólica Nos dias deLire la suite « Jogo cromático »

Portas e janelas

Sou apaixonada por portas e janelas Grandes, pequenas, de ferro ou de madeiraPara mim, todas são belasNunca me sinto sem eira nem beira Porque quando uma se fechaOutra estende-me os braçosUma porta trancada não se rejeitaE eu recebo-a num grande abraçoJanela velha e escaqueiradaEnterrada viva sem dó nem piedadeSofre em silêncio a desgraçadaPortas de casasLire la suite « Portas e janelas »

Giallo

Amarelo como o solQuente como um dia de VerãoO mundo é um girassolE o que desejo cabe na minha mãoAgradável como galopar ao ventoLivre como o lobo temerosoQue assusta o inimigo apenas com o alentoEste animal é poderoso!Fecha-se uma porta, mas abre-se uma janelaE a esperança volta a crescerPor detrás de uma avenida esconde-se umaLire la suite « Giallo »

Créez votre site Web avec WordPress.com
Commencer