Sentir a vida

Tem cor a tristeza?Tem cheiro a solidão?Tem sabor a beleza?Tem melodia a gratidão?Tem princípio a mudança?Tem fim a saudade?Tem sentido a vingança?Tem mérito a realidade?Tem saída o labirinto?Tem janela o coração?Tem importância o que sinto?Tem brisa o dia de Verão?Tem alma a dor?Tem asas a vitória?Tem corpo o pudor?Tem lógica esta história? Filipa Moreira daLire la suite « Sentir a vida »

Pangeia

E se não existissem fronteirasMarítimas, terrestres ou aéreas?E se houvesse uma única bandeiraDe várias cores e tamanhos?E se navegássemos todosNo imenso mar?E se comunicássemos Na mesma língua?E se fossemos apenasSeres humanos e imperfeitos?E se cuidássemos do nosso planetaComo se fosse a nossa última morada?E se deixássemos de terPara nos concentrarmos na essência do ser? FilipaLire la suite « Pangeia »

Morte certa, mas sem hora marcada

A minha irmã avisou-me e eu pensei estar preparada. Enganei-me. E o choque foi imenso quando vi a minha mãe (ainda jovem e cheia de vida) tão magra e debilitada, deitada na cama do hospital. Parecia uma boneca de porcelana, com a tez esbranquiçada e o corpo mirrado. Ou um copo de cristal que, sóLire la suite « Morte certa, mas sem hora marcada »

Um dia…

Certo dia, a menina perguntou ao pai:– Quando vou ver o mar?O pai, distraído, respondeu:– Um dia…A menina não desistiu. E no dia seguinte perguntou:– Quando vamos passear juntos?A resposta do pai foi a mesma:– Um dia…A menina cresceu e continuou a questionar-se quando iria andar de comboio, quando teria um bolo de aniversário, quandoLire la suite « Um dia… »

Depende

Dizem que a água não tem sabor nem cheiroDepende…Dizem que os rios vão dar ao marDepende…Dizem que depois da vida só há morteDepende…Dizem que quando o sol dorme a lua despertaDepende…Dizem que um dia somos crianças e, de repente, chegamos a velhosDepende…Dizem que depois da tempestade vem a bonançaDepende…Dizem que ninguém morre por amorDepende…Dizem queLire la suite « Depende »

Fly away!

Adoro viajar! O avião e o comboio são os meus transportes favoritos. E amanhã vou ter uma dose dos dois! Saint-Malo – Rennes – Paris – Lisboa. A expedição vai ser longa, mas quem corre por gosto não se cansa. Tirei esta fotografia há vários anos, num voo de San Sebastian a Lisboa. Ah, Lisboa…Lire la suite « Fly away! »

Serenidade

Dei renda solta ao sentimentoSoltei todas as lágrimasChorei o que estava guardado E antecepei o que viráLavei a alma vezes sem contaE vesti a roupa da esperançaDe que vale fazer planos?Para quê traçar um projeto a longo prazoSe numa questão de dias tudo muda?O futuro está nas mãos de DeusE não sabemos de que seráLire la suite « Serenidade »

Asas quebradas

O anjo voa, embora não tenha asas.Quando a exaustão chega, adormece com a cabeça nas nuvens, ignorando as fortes brasas que lhe queimam os pés.O seu corpo é um imenso mar azul.A sua alma é dourada e leve como a areia da praia num dia de Verão.Não sente calor nem frio.Desconhece a fome e aLire la suite « Asas quebradas »

Abençoada loucura

Loucos são aqueles que ousam ser felizesE pintam o dia com diferentes matizesFazem as pazes com o medoA vida é um maravilhoso segredoPrestes a ser desvendadoEsse tesouro tão bem aguardadoCabe na mão, no peitoEmbora de infinito seja feitoLoucos são aqueles que buscam a verdadeEm nome da tal liberdadePerseguem sonhos E falam baixinho com anjinhosAcreditam emLire la suite « Abençoada loucura »

Créez votre site Web avec WordPress.com
Commencer