Mãe

Mãe solteira, mãe casada
Mãe viúva ou divorciada

Mãe leoa, mãe galinha
Mãe corajosa como a minha

Mãe alheia, mãe ausente
Mãe amiga, sempre presente

Mãe cansada, mãe distante
Mãe frustrada e hesitante

Mãe espancada, abandonada
Mãe forte e recuperada

Mãe adúltera e egoísta
Mãe enganada, mas pacifista

Mãe flor, mãe fruto, mãe oceano
Mãe sem pudor que deixa a nódoa cair no pano

Mãe afetos, amor e coração
Mãe calculista e só razão

Mãe jovem, quase irmã
Mãe madura, mas tão sã

Mãe diplomada e estudiosa
Mãe dona da casa e laboriosa

Cada mãe é única e especial
Devendo sentir-se cada dia como tal.

Dedico este poema a todas as mães e, em especial, à minha. Ficou órfã aos 15 anos, passou por quatro cesarianas com anestesia geral (e quase perdeu a vida numa delas), venceu dois cancros e uma Covid severa. Está a tratar-se de um cancro que já se instalou no fígado e nos pulmões.
Quatro filhos em quatro países. Longe da vista, mas sempre perto do coração. Fonte inesgotável de amor, serenidade, otimismo, paz, reconforto e compreensão. O meu porto-seguro. A minha mãe.

Filipa Moreira da Cruz

Photos : Paul Laurent Bressin

Verde é esperança

Visto-me de verde da cabeça aos pés
Fecho os olhos e conto até três
Paz, serenidade, perseverança
Empatia, solidariedade, confiança
Cair 100 vezes e levantar-se 101
Ter uma mão cheia de nada
E outra de coisa nenhuma
A vida é uma festa, um milagre, uma surpresa
Começa por acaso e acaba depressa.

Filipa Moreira da Cruz

Photos : Filipa Moreira da Cruz, KaDDD et Paul Laurent Bressin

A vida é uma festa!

Photo : KaDDD

A vida é uma festa com balões coloridos, foguetes e confetti. Somos nós os anfitriões. Uns usam máscara porque recusam-se a revelar o que lhes vai na alma. Outros preferem um colete à prova de balas, sabendo que os seus manifestos serão alvo de críticas atrozes. Ato de coragem ou estupidez?

A vida é um palco onde os atores sabem o seu papel de cor. Todos eles representam sem sentimento nem emoção. Fobias confundem-se com alegrias e o medo dança, de mãos dadas, com a esperança. Não há limite entre o lógico e o imaginário. Não existem fronteiras entre o que foi, o que virá a ser e o que nunca será.

A vida é uma floresta encantada, habitada por fadas e duendes. Os mais velhos dão-lhe ritmo através de lendas, fábulas e contos. O facilmente adquirido deixa de ter graça e corremos atrás do inatingível. Desafiamos o tempo com arrogância, embora saibamos que nunca conseguiremos recuparar o passado. E é aí que a saudade nos invade, violentamente.

A vida é uma catedral, onde os milagres acontecem, todos os dias. A vida é uma aventura na Amazónia, um desafio nom voo intrépido, uma descoberta singular.

A vida é aqui a agora. Estás pronto para esta viagem?

Filipa Moreira da Cruz

Neve em Saint-Malo

Saint-Malo vestiu-se de branco
E recebeu-nos envolta no seu manto
Coisa rara numa cidade que, por uma vez
Não vive ao ritmo das marés
Prefiro o sol, o calor e o mar
Mas fazer o quê? Aproveitar!

Filipa Moreira da Cruz

Photos : Filipa Moreira da Cruz

Virados do avesso

Photo : KaDDD

É cão, é gato
É periquito, é peixe encarnado
É gritaria, casa desarrumada
Ficamos de pijama. Festa assegurada!
É roupa amarfanhada, loiça por guardar
De manhã, não há escolha, temos que trabalhar
Estudar em casa é o que está a dar!
Escola fechada, parque vazio
Todos os dias são iguais, mas sem frio
Saudades dos avós, triste realidade
Eles sim gostam de nós de verdade!
Quando isto passar, vou dar beijinhos
Abraços e as mãos apertar
Mas até lá, tenhamos calma
Melhores dias estão por chegar.

Filipa Moreira da Cruz