Arco íris de emoções

Balões, serpentinas, músicaFachadas coloridasE o sol a espreitar pela janelaA vida é uma festa!Crianças a correrGargalhadas estridentesIdosos sem dores nem mazelasA vida é bela!Vento suave e chuva miudinhaQue refrescam num dia quente de VerãoCopos a transbordar de vinho aveludadoEnchem de cor as esplanadasA vida é deliciosa! Filipa Moreira da Cruz Photos : Filipa Moreira daLire la suite « Arco íris de emoções »

Portas e janelas

Sou apaixonada por portas e janelas Grandes, pequenas, de ferro ou de madeiraPara mim, todas são belasNunca me sinto sem eira nem beira Porque quando uma se fechaOutra estende-me os braçosUma porta trancada não se rejeitaE eu recebo-a num grande abraçoJanela velha e escaqueiradaEnterrada viva sem dó nem piedadeSofre em silêncio a desgraçadaPortas de casasLire la suite « Portas e janelas »

Happy!

Férias de sonho entre vinhedos e castelosMomentos inesperados acolhidos com emoçãoDias longos e quentesTivemos o sol como eterno companheiroEsqueci-me das chatices da vidaE na rotina nem quis pensarNão houve espaço para a tristezaApenas instantes eternosRecheados de gargalhadas Partilha e cumplicidadeGratidão. Filipa Moreira da Cruz Photos : Filipa Moreira da Cruz

Identidades

Há uns dias, uma amiga ligou-me para partilhar uma boa notícia: acaba de obter a nacionalidade australiana. A meio da conversa disse-me que já não se sente apenas francesa, é uma mistura. Talvez só quem tenha passado vários anos num país que não é o seu a possa entender. De qualquer forma, até os queLire la suite « Identidades »

Crónica de um país desamparado

As últimas semanas em França foram tudo menos monótonas. O país começou a desconfinar-se no dia 3 de Maio. Este processo vai decorrer em quatro fases e a vida de antes (que nunca será totalmente igual) só será recuperada a partir de 30 de Junho. Até lá, continuaremos a caminhar a passinhos de bebé eLire la suite « Crónica de um país desamparado »

Costa Azul

Costa azulMar esmeraldaCéu violetaPele douradaAsas de borboletaAreia finaLabirintos perdidosSou teu, és minha?Jardins escondidosPromessa desfeitaPássaros ausentesSem eira nem beiraPalavras persistentesRocha escarpadaRuas vaziasA vida é tudo e nada. Filipa Moreira da Cruz Photos : Paul Laurent Bressin

Comment ça va?

Esta questão é-me colocada várias vezes ao longo do dia. Os franceses têm-na na ponta da língua e respondem por automatismo: ça va. E eu não fujo à regra porque ninguém está interessado em ouvir um desabafo, uma apreensão. Ninguém tem tempo para lamurias nem queixas. Ninguém se preocupa com os problemas dos outros nemLire la suite « Comment ça va? »

Créez votre site Web avec WordPress.com
Commencer