Sin miedo

La vida no es un problema a ser resuelto, es una realidad a experimentar.

Soren Kierkegaard

El sol se duerme… despacio
Otro día que termina
Y nosostros seguimos vivos
¿Qué vendrá mañana?
¡Ni idea!
La vida es una aventura
Y yo estoy lista para abrazarla.

Filipa Moreira da Cruz

Photos : Filipa Moreira da Cruz

Um dia…

Photo : Filipa Moreira da Cruz

Certo dia, a menina perguntou ao pai:
– Quando vou ver o mar?
O pai, distraído, respondeu:
– Um dia…
A menina não desistiu. E no dia seguinte perguntou:
– Quando vamos passear juntos?
A resposta do pai foi a mesma:
– Um dia…
A menina cresceu e continuou a questionar-se quando iria andar de comboio, quando teria um bolo de aniversário, quando brincaria com o pai.
O progenitor, demasiado ocupado, adiava os momentos a dois.
Os anos voaram, o pai envelheceu e morreu. A menina foi mãe e, certo dia, o seu filho começou:
– Mãe, quando…?
A menina de outrora, sem sequer ouvir a pergunta, respondeu de imediato:
– Hoje!

Filipa Moreira da Cruz

Serenidade

Photo : Filipa Moreira da Cruz

Dei rédea solta ao sentimento
Soltei todas as lágrimas
Chorei o que estava guardado
E antecepei o que virá
Lavei a alma vezes sem conta
E vesti a roupa da esperança
De que vale fazer planos?
Para quê traçar um projeto a longo prazo
Se numa questão de dias tudo muda?
O futuro está nas mãos de Deus
E não sabemos de que será feito o amanhã
Apenas o agora nos pertence
Aproveitemos cada dia…sempre!

Filipa Moreira da Cruz

Photo : Filipa Moreira da Cruz

Tempo é vida

Reprise

Photo : Filipa Moreira da Cruz

Dizem que tempo é dinheiro, mas eu não trocaria nenhuma fortuna pelo tempo que já tive.
Tempo é vida!
Cheguei a tempo ao comboio e ao avião.
Tive tempo para ir ao hospital e de acompanhar a minha mãe no regresso a casa.
Houve tempo para rir e para chorar. Tempo para falar de futilidades e de coisas sérias.
Tempo para matar as saudades e dar de comer à solidão.
Tempo para abraços e beijos.
Gostaria de ter tido ainda mais tempo, mas deste bem precioso não devemos abusar.
Tempo não sobra nem nunca é demais. Tempo é empréstimo para a eternidade.
O que farão os ricos com tanto dinheiro e sem tempo para o gastar?

Filipa Moreira da Cruz

Dia da Criança

Photo : Arquivo pessoal

Depus a máscara e vi-me ao espelho.
Era a criança de há quantos anos.
Não tinha mudado nada…
É essa a vantagem de saber tirar a máscara.
É-se sempre a criança,
O passado que foi
A criança.
Depus a máscara, e tornei a pô-la.
Assim é melhor,
Assim sem a máscara.
E volto à personalidade como a um términus de linha.

Álvaro de Campos– Heterónimo de Fernando Pessoa

Photo : Arquivo pessoal

A Criança que pensa em fadas e acredita nas fadas
Age como um deus doente, mas como um deus.
Porque embora afirme que existe o que não existe
Sabe como é que as cousas existem, que é existindo,
Sabe que existir existe e não se explica,
Sabe que não há razão nenhuma para nada existir,
Sabe que ser é estar em algum ponto
Só não sabe que o pensamento não é um ponto qualquer.

Alberto Caeiro – Heterónimo de Fernando Pessoa

Um suspiro

A vida é breve, um dia estamos aqui
E no outro, de partida para outro lugar
Não te preocupes, é mesmo assim
Só nos resta desfrutar!
O agora é um momento efémero
E o depois, quem sabe o que nos reserva?
Perseguimos a quimera do eterno
A nossa mente é perversa
Hoje ainda respiro
E sou feliz por ter-te comigo
Amanhã talvez acabe num suspiro
Mas disso encarga-se o universo meu amigo.

Filipa Moreira da Cruz

Photos : Filipa Moreira da Cruz

Ai que saudades!

Reprise

Saudades, só portugueses conseguem senti-las bem porque têm essa palavra para dizer que as têm.

Fernando Pessoa

Tenho saudades do que em tempos fui e do que nunca serei
Tenho saudades do que tenho e do que ainda não encontrei
Tenho saudades dos que partiram
Tenho saudades dos que ainda não chegaram
Tenho saudades dos que foram e já não são
Tenho saudades dos que, um dia, serão
Tenho saudades dos fugazes encontros
Tenho saudades dos eternos desencontros
Tenho saudades das terras longínquas
Tenho saudades das conversas ambíguas
Tenho saudades daquele abraço
Tenho saudades de repousar no teu regaço
Tenho saudades da partilha e da comunhão
Tenho saudades, de um dia, conseguir dizer não
Tenho saudades da multidão
Tenho saudades da solidão
Tenho saudades da desconcertante felicidade
Tenho saudades de ter saudade.

Filipa Moreira da Cruz

Photos : Filipa Moreira da Cruz

Abençoada família esta onde nasci!

Dia Internacional da Família

Deveria terminar um trabalho escrito, mas não tenho vontade… O meu amigo Fernando enviou-me um link para um exclente albúm e eu já estou noutra dimensão! Bem longe…!
Voltei a ter 13 ou 14 anos. Revejo-me sentada na salinha cor de rosa preparada para ficar horas a fio a ouvir música e a escrever para aliviar a alma. Só vou descansar o corpo quando o meu pai me forçar. Ele ralha-me porque forço demasiado os olhos (o olho esquerdo e os 10% do que resta ao direito).
Regressei à casa da minha infância, adolescência e início da vida adulta, em Lisboa, onde cresci e fui tão feliz! Uma família de seis é sinónimo de barulho, briga, confusão, mas acima de tudo, amor, partilha, união e força. Os meus pais nunca pensaram que os quatro filhos iriam viver em quatro países diferentes. As viagens de avião, carro e comboio foram e serão muitas. Detalhe insignificante quando queremos estar perto dos que mais contam.
Dois genros estrangeiros que receberam de braços abertos e quatro línguas faladas nas reuniões familiares. Os meus pais aceitam tudo! Férias coletivas, natais em Lisboa, Paris, Londres.
Ai tempo, volta para trás! Deixa-me abraçar ainda mais forte e durante mais tempo aqueles que me deram a vida. Peço-te coragem para dizer-lhes o quanto gosto deles e como encolhe o meu coração quando sofrem e não estou por perto.
A minha mãe, excelente contadora de histórias, mulher de armas e fonte de amor e tolerância conseguiu uma proeza: a cumplicidade entre os filhos. Parece simples, mas nem sempre acontece. A distância não consegue afastar-nos porque nós somos mais resilientes.
O meu filho disse-me, um dia, que o melhor presente que eu e o pai lhe oferecemos foi a irmã. Quando ouvi esta frase senti que parte do meu dever de mãe estava cumprido. Mas o caminho é interminável e os desafios são bastantes. Enquanto há vida, há família. E eu não trocaria a minha nem por um 1.000.000.000.000……..

Filipa Moreira da Cruz

Photos : Filipa Moreira da Cruz

Grito do Ipiranga

O homem nasceu livre e por toda a parte vive acorrentado.

Jean-Jacques Rousseau
Photo : Paul Laurent Bressin

Sonho em prosa
Escrevo em verso
A vida nem sempre é rosa
E o cérebro é perverso
Misturo línguas
Confundo expressões
Os nervos à flor da pele
Contrariam as minhas emoções
Cansei-me de pedir licença para existir
Fartei-me de caminhar nas pontas dos pés
Sapatinhos de lã invisíveis
Já não quero falar baixinho com medo de ferir
As orelhas dos mais sensíveis
A minha voz não vou calar
Abraço as situações imprevisíveis
Com audácia e sem medo
Engulo em seco o pudor
A vida deixou de ser um segredo
Confio na boa esperança
Seja o que for
Oiço o vento da mudança
Vai correr tudo bem
Não perco a fé nem a perseverança
Vai dar certo
Se Deus quiser.


Filipa Moreira da Cruz

Entre o céu e o mar

A liberdade é um dos dons mais preciosos que o céu deu aos homens. Nada a iguala, nem os tesouros que a terra encerra no seu seio, nem os que o mar guarda nos seus abismos. Pela liberdade, tanto quanto pela honra, pode e deve aventurar-se a nossa vida.

Miguel de Cervantes

A vida sem luta é um mar morto no centro do organismo universal.

Machado de Assis

Homem livre, tu sempre gostarás do mar.

Charles Baudelaire

Photos : Filipa Moreira da Cruz