Despojos de uma vida

Photo : KaDDD

Passei por este mundo como tantos
Mas amei como tão poucos
Vivi, sem pressa, sem medo, sem prantos
Fazendo dos dias enfadonhos momentos loucos

Caminhei com os pés bem assentes
Nesta terra que suavemente me acolheu
E me deixou partir livre e sem correntes
Sem me esquecer de tudo o que ela me deu

Finalmente, sou apenas espírito e recordação
E uma imensa saudade do que não vivi
Resta-me esquecer o tempo, essa prisão
Fechar os olhos e pensar em ti

Vês essa estrela, ao longe, no céu
Que brilha no firmamento?
Pequenina e insignificante, assim sou eu
E venho dizer-te que a vida é um breve momento.

Filipa Moreira da Cruz

Um dia…

Photo : Filipa Moreira da Cruz

Certo dia, a menina perguntou ao pai:
– Quando vou ver o mar?
O pai, distraído, respondeu:
– Um dia…
A menina não desistiu. E no dia seguinte perguntou:
– Quando vamos passear juntos?
A resposta do pai foi a mesma:
– Um dia…
A menina cresceu e continuou a questionar-se quando iria andar de comboio, quando teria um bolo de aniversário, quando brincaria com o pai.
O progenitor, demasiado ocupado, adiava os momentos a dois.
Os anos voaram, o pai envelheceu e morreu. A menina foi mãe e, certo dia, o seu filho começou:
– Mãe, quando…?
A menina de outrora, sem sequer ouvir a pergunta, respondeu de imediato:
– Hoje!

Filipa Moreira da Cruz

Um suspiro

A vida é breve, um dia estamos aqui
E no outro, de partida para outro lugar
Não te preocupes, é mesmo assim
Só nos resta desfrutar!
O agora é um momento efémero
E o depois, quem sabe o que nos reserva?
Perseguimos a quimera do eterno
A nossa mente é perversa
Hoje ainda respiro
E sou feliz por ter-te comigo
Amanhã talvez acabe num suspiro
Mas disso encarga-se o universo meu amigo.

Filipa Moreira da Cruz

Photos : Filipa Moreira da Cruz

Historias

Photo : Filipa Moreira da Cruz

Que nunca se apague la esperanza
Que el camino sea más que añoranza
Que no se mueran las flores del jardín
Ni las historias o leyendas sin fin
Que nunca nos quiten las estrellas en el cielo
Ni el amor puro y bello
Que no nos fallen las mariposas
Que siempre tengamos cosas hermosas
Que no se acaben las risas ni las carcajadas
Que sigamos creyendo en duendes y hadas
Que no nos olvidemos de la ternura
Ni los momentos de dulzura
Que no nos quiten lo bailado
Ni el día más deseado
Que los inviernos sean cortos
Que cuiden de nuestros corazones rotos
Que las palabras sean sinceras
Que sean largas las primaveras
Que el pasado nos sirva de lección
Que el presente rime con acción
Que los amigos siempre estén
Que la familia no se ausente
Que la vida sea un largo respiro
Que la muerte no pase de un breve suspiro.

Filipa Moreira da Cruz

Talvez…

Photo : Paul Laurent Bressin

Enganar o tempo
Aproveitar este momento
Amarfanhar o futuro
Disparar um tiro no escuro
Ouvir o silêncio
Gritar o que levo dentro
Despistar a sorte
Perder o sul e o norte
Escorregar no fracasso
Dar aquele abraço
Aprender com os erros
Desvendar os segredos
Vaguear pela multidão
Assumir o sim e o não
Enfrentar o medo
Deixar de lado o enredo
Amar o talvez
Uma e outra vez.

Filipa Moreira da Cruz

A magia do momento

Ali vimos a veemência do visível
O aparecer total exposto inteiro
E aquilo que nem sequer ousáramos sonhar
Era o verdadeiro.

Sophia de Mello Breyner

Difícil é saber de frente a tua morte
E não te esperar nunca mais nos espelhos da bruma.

Sophia de Mello Breyner

Photos : Filipa Moreira da Cruz

No te vayas

Photo : Paul Laurent Bressin

¡Quedate!
Hasta la puesta del sol
¡Quedate!
Hasta que no termine la música
¡Quedate!
Hasta el último baile
¡Quedate!
Hasta que salga la luna
¡Quedate!
Hasta que las estrellas brillen en el cielo
¡Quedate!
Hasta que sigamos despiertos
¡Quedate!
Hasta que viva la esperanza
¡Quedate!
Hasta que las olas del mar acaricien la arena
¡Quedate!
Hasta que seamos muy viejos
¡Quedate!
Hoy, mañana, siempre.


Filipa Moreira da Cruz

Um dia…

Photo : Filipa Moreira da Cruz

Certo dia, a menina perguntou ao pai:
– Quando vou ver o mar?
O pai, distraído, respondeu:
– Um dia…
A menina não desistiu. E no dia seguinte perguntou:
– Quando vamos passear juntos?
A resposta do pai foi a mesma:
– Um dia…
A menina cresceu e continuou a questionar-se quando iria andar de comboio, quando teria um bolo de aniversário, quando brincaria com o pai.
O progenitor, demasiado ocupado, adiava os momentos a dois.
Os anos voaram, o pai envelheceu e morreu. A menina foi mãe e, certo dia, o seu filho começou:
– Mãe, quando…?
A menina de outrora, sem sequer ouvir a pergunta, respondeu de imediato:
– Hoje!

Filipa Moreira da Cruz

Historias sin fin

Photo : Filipa Moreira da Cruz

Que nunca se apague la esperanza
Que el camino sea más que añoranza
Que no se mueran las flores del jardín
Ni las historias o leyendas sin fin
Que nunca nos quiten las estrellas en el cielo
Ni el amor puro y bello
Que no nos fallen las mariposas
Que siempre tengamos cosas hermosas
Que no se acaben las risas ni las carcajadas
Que sigamos creyendo en duendes y hadas
Que no nos olvidemos de la ternura
Ni los momentos de dulzura
Que no nos quiten lo bailado
Ni el día más deseado
Que los inviernos sean cortos
Que cuiden de nuestros corazones rotos
Que las palabras sean sinceras
Que sean largas las primaveras
Que el pasado nos sirva de lección
Que el presente rime con acción
Que los amigos siempre estén
Que la familia no se ausente
Que la vida sea un largo respiro
Que la muerte no pase de un breve suspiro.

Filipa Moreira da Cruz

Um suspiro

A vida é breve, um dia estamos aqui
E no outro, de partida para outro lugar
Não te preocupes, é mesmo assim
Só nos resta desfrutar!
O agora é um momento efémero
E o depois, quem sabe o que nos reserva?
Perseguimos a quimera do eterno
A nossa mente é perversa
Hoje ainda respiro
E sou feliz por ter-te comigo
Amanhã talvez acabe num suspiro
Mas disso encarga-se o universo meu amigo.

Filipa Moreira da Cruz