Carnaval dos animais

As araras mergulham de cabeçaO caracol avança a 100 à horaCheio de pressa!Pensam que é história?Ou conversa da treta?O sapo come cenouras frescasE fica à espreitaO lagarto bebe água e cospe fogoA borboleta escolhe as suas presasO peixe conta piadas de mau gostoA tartaruga brinca às escondidasO mundo está louco!E os animais fazem birras. FilipaLire la suite « Carnaval dos animais »

Castelos na areia

Fim de tarde na praiaLongo dia de VerãoO frio mantém-se à raiaAdoro esta estação!O mar muda de corSeguindo caprichos misteriososQue não conhecem medo nem rancorSábios são os que abrem os olhosA natureza obedece a leisQue apenas ela conheceE os humanos são reisA quem ela finge que obedeceAs crianças fazem castelos na areiaCoitados dos adultos queLire la suite « Castelos na areia »

Giallo

Amarelo como o solQuente como um dia de VerãoO mundo é um girassolE o que desejo cabe na minha mãoAgradável como galopar ao ventoLivre como o lobo temerosoQue assusta o inimigo apenas com o alentoEste animal é poderoso!Fecha-se uma porta, mas abre-se uma janelaE a esperança volta a crescerPor detrás de uma avenida esconde-se umaLire la suite « Giallo »

Amor sem espinhos

Não há bela sem senãoNão há alma sem coraçãoNão há rosa sem espinhosNão há metas sem caminhosNão há mar sem ondasNão há praia sem conchasNão há recompensa sem esforçoNão há festa sem alvoroçoNão há Outono sem chuvaNão há presença como a tuaNão há Verão sem calorNão há paz sem amorNão há queijo sem marmeladaNão háLire la suite « Amor sem espinhos »

Nostalgia do futuro

Ai se eu soubesseSer sol e luaCéu e marAi se eu soubesseFazer tudo sem pressaBem devagarAi se eu soubesseApagar as chamas do mundoCom garra e genicaAi se eu soubesseTransformar o planeta azul num segundoNo doce lar que nos abrigaAi se eu soubesseLidar com as saudadesSem dor nem tristezaAi se eu soubesseDar a volta às dificuldadesComLire la suite « Nostalgia do futuro »

Animais no parque

O coelho uiva ruidosamenteO lobo come erva lentamenteO papagaio nada energicamenteO cavalo voa suavementeO galo dança alegrementeO veado cacareja distraidamanteA pantera sonha placidamenteO elefante ri descaradamenteSó falta o leão fazer cócegas à formigaO mundo está loucoOs humanos deserteram a cidadeE os animais invadiram o parque. Filipa Moreira da Cruz Photos : Filipa Moreira da Cruz

Cheira a vida!

A que cheira o mar?A que cheira a fruta do pomar?A que cheira a terra molhada?A que cheira a rosa mais perfumada?A que cheira o bosque?A que cheira o gelado comprado no quiosque?A que cheira o fogo das chamas?A que cheira o bebé que tanto amas?A que cheira o carvão?A que cheira o sangue queLire la suite « Cheira a vida! »

Campo de espigas

Espigas ao ventoEsperança e alentoCampo verde e floridoAmor presente e sentidoNuvens brancas ou cinzentasNa paisagem que integrasAndorinhas a voarPássaros a cantarSol tímido e fugazE a chuva que o céu trazLembram-nos qua a mãe NaturezaÉ pura magia e beleza. Filipa Moreira da Cruz Photos : Filipa Moreira da Cruz

Créez votre site Web avec WordPress.com
Commencer