Diz-me o que vês

Diz-me o que vêsNão, não digas Esses teus olhos não mentemSão puros e transparentesDeixa-me sonhar, entrar dentro de tiTrespassar a tua alma sem fimDois corpos, um único espírito Diz-me o que vêsNão, não digas Sozinha, caminhoPor entre as trevas do passadoPercorro trilhos perdidosAté atingir a felicidadeAh, grande momento este! Diz-me o que vêsNão, não digasLire la suite « Diz-me o que vês »

Créez votre site Web avec WordPress.com
Commencer