Norte e Sul

Norte e sul
Este ou oeste
De cima para baixo
Sol e chuva
Vento e calor
Antípodas meteorológicos
Verão ou Inverno
Seca ou dilúvio
Caprichos da Natureza
Yin e yang
Esquerda e direita
Lados opostos
Praia ou campo
Montanha ou planície
Escolhas ocasionais
Estrada ou trilho
Avenida ou ruela
Caminhos cruzados
Riso ou choro
Tristeza ou alegria
Sentimentos conturbados
Princípio e fim
Vida e morte
Nascimento e despedida.

Filipa Moreira da Cruz

Photos : Filipa Moreira da Cruz / Paul Laurent Bressin

Amizade improvável

Photo : KaDDD

O leão diz à formiga
És tão pequenina!
A formiga responde
Não imaginas a minha sorte!
Posso fazer mais do que tu que és tão forte
Quando chove, abrigo-me debaixo de uma folha
Sempre que há festa, voo em cima de uma rolha
Nos dias de sol abrasador
Uma simples pedrinha protege-me do calor
E quando estou chateada com o mundo
Basta-me respirar fundo
E tu gigante leão
Diz-me o que fazes então?
Onde é que te escondes
Quando não queres que ninguém te encontre?
O que fazes para ter paz e sossego?
Será que esse corpo enorme te dá aconchego?
Queres ser meu amigo?
Eu…a passear contigo?!
Se quiseres posso fazer-te cócegas
Quando tiveres comichão nas costas
E vais adorar fingir que falas sozinho
Os outros vão pensar que estás louco
Não lhes dês troco
Juntos seguiremos o nosso caminho
Por que não!?
Já estou cansado da solidão
Vai fazer-me bem um pouco de distração
E quem sabe…
Talvez seja o início de uma bonita amizade.

Filipa Moreira da Cruz

Norte e Sul

Norte e sul
Este ou oeste
De cima para baixo
Sol e chuva
Vento e calor
Antípodas meteorológicos
Verão ou Inverno
Seca ou dilúvio
Caprichos da Natureza
Yin e yang
Esquerda e direita
Lados opostos
Praia ou campo
Montanha ou planície
Escolhas ocasionais
Estrada ou trilho
Avenida ou ruela
Caminhos cruzados
Riso ou choro
Tristeza ou alegria
Sentimentos conturbados
Princípio e fim
Vida e morte
Nascimento e despedida.

Filipa Moreira da Cruz

Photos : Filipa Moreira da Cruz / Paul Laurent Bressin

Amizade improvável

Photo : KaDDD

O leão diz à formiga
És tão pequenina!
A formiga responde
Não imaginas a minha sorte!
Posso fazer mais do que tu que és tão forte
Quando chove, abrigo-me debaixo de uma folha
Sempre que há festa, voo em cima de uma rolha
Nos dias de sol abrasador
Uma simples pedrinha protege-me do calor
E quando estou chateada com o mundo
Basta-me respirar fundo
E tu gigante leão
Diz-me o que fazes então?
Onde é que te escondes
Quando não queres que ninguém te encontre?
O que fazes para ter paz e sossego?
Será que esse corpo enorme te dá aconchego?
Queres ser meu amigo?
Eu…a passear contigo?!
Se quiseres posso fazer-te cócegas
Quando tiveres comichão nas costas
E vais adorar fingir que falas sozinho
Os outros vão pensar que estás louco
Não lhes dês troco
Juntos seguiremos o nosso caminho
Por que não!?
Já estou cansado da solidão
Vai fazer-me bem um pouco de distração
E quem sabe…
Talvez seja o início de uma bonita amizade.

Filipa Moreira da Cruz