Castelos na areia

Fim de tarde na praiaLongo dia de VerãoO frio mantém-se à raiaAdoro esta estação!O mar muda de corSeguindo caprichos misteriososQue não conhecem medo nem rancorSábios são os que abrem os olhosA natureza obedece a leisQue apenas ela conheceE os humanos são reisA quem ela finge que obedeceAs crianças fazem castelos na areiaCoitados dos adultos queLire la suite « Castelos na areia »

Expressões Portuguesas – Água

Água de nevão dá muito pãoE água do mar o que terá para dar?Desgaste na madeira, buracos nas redesA água (também) faz desabar as paredesE quando teimamos em insistir no que não dura?Água mole, em pedra dura, tanto dá até que a furaFaçamos barulho, mostremos o que nos o que nos revoltaA água silenciosa éLire la suite « Expressões Portuguesas – Água »

Reflexos

Quero a delícia de poder sentir as coisas mais simples. Manuel Bandeira Reflexos de uma vida Sofrida, esprimidaTurbilhão de sonhosMovimentos enfadonhosSerpentinas de prazerPara satisfazer os caprichos do serGestos automáticosOlhares baços, mas francosDespojos de uma lembrançaA tempestade já virou bonança. Filipa Moreira da Cruz Photos : Filipa Moreira da Cruz

Ciclo de lavagem

Programa curto, médio ou longoCentrifugação ou nãoA vida muda num segundoPeças sintéticas ou de algodãoRoupa suave ou delicadaColorida, branca ou escuraEstou certa ou errada?A água remove a nódoa ou ela perdura?Ciclo aberto ou fechadoPouco importa!O mundo é um achadoE Deus escreve certo numa linha torta. Nota: Este « poema » surgiu depois de uma avaria da minhaLire la suite « Ciclo de lavagem »

Postais do meu país

Já tive casa em cinco países diferentes, com línguas, culturas e valores muito próprios. Mas por muitas voltas que dê, o bairro onde passei a minha infância, adolescência e parte da vida adulta continua a ser especial. Como diz uma amiga, “Alvalade ao rubro!”. Sempre! Não sou particularmente bairrista, gosto do meu país por inteiro.Lire la suite « Postais do meu país »

Promenade en famille

Céu rosa, laranja e violetaDiapasão nas asas de uma borboletaMar imenso e azulRelva verde mais ao sulAbraçar uma árvore, respirar fundoNão penso perder nem um segundoUm olhar, uma gargalhadaA vida é feita de tudo e de nada. Filipa Moreira da Cruz Photos : Filipa Moreira da Cruz

O meu bairro

Saint-Servan, praia Bas Sablons, torre SolidorO meu bairro é mágico e especialAreia dourada, água esmeraldaDo dia para a noite a paisagem muda de corJogo de contrastes Espelho de segredos. Filipa Moreira da Cruz Photos : Filipa Moreira da Cruz

Porto como te quero

Cidade invicta, no norte de PortugalGente autêntica, acolhedora e naturalNo Porto sinto-me em casa, embora não gostem que diga que sou alfacinhaGuardo o segredo porque sei que também és minha. Filipa Moreira da Cruz Photos : Filipa Moreira da Cruz

Saint-Malo

Cité corsaire de onde saiu Jacques Cartier para o CanadáLugar que acolhe quatro estações num diaPraia que invade a cidadeOu cidade que engole a praiaBarcos que chegam e que partemPensei estar de passagemMas quando dei por mim já lhe chamava casa Filipa Moreira da Cruz Photos : Filipa Moreira da Cruz

Créez votre site Web avec WordPress.com
Commencer