Morte certa, mas sem hora marcada

A minha irmã avisou-me e eu pensei estar preparada. Enganei-me. E o choque foi imenso quando vi a minha mãe (ainda jovem e cheia de vida) tão magra e debilitada, deitada na cama do hospital. Parecia uma boneca de porcelana, com a tez esbranquiçada e o corpo mirrado. Ou um copo de cristal que, sóLire la suite « Morte certa, mas sem hora marcada »

Dia da Criança

Depus a máscara e vi-me ao espelho.Era a criança de há quantos anos.Não tinha mudado nada…É essa a vantagem de saber tirar a máscara.É-se sempre a criança,O passado que foiA criança.Depus a máscara, e tornei a pô-la.Assim é melhor,Assim sem a máscara.E volto à personalidade como a um términus de linha. Álvaro de Campos –Lire la suite « Dia da Criança »

Créez votre site Web avec WordPress.com
Commencer