Sem medo

Quem tem medo não amaQuem tem medo desandaQuem tem medo esqueceQuem tem medo esmoreceQuem tem medo congelaQuem tem medo tagarelaQuem tem medo excluiQuem tem medo não evoluiQuem tem medo condenaQuem tem medo ordenaQuem tem medo envelheceQuem tem medo não esqueceQuem tem medo julgaQuem tem medo vira pulgaQuem tem medo agrideQuem tem medo não progrideQuem temLire la suite « Sem medo »

Casa de papel

Casa de mármore, de cimento, de cartão.Casa de madeira, de pedra, de vidro.Casa de palha, de tecido, de papelão.Casa de tijolo, de ferrugem, sem brilho. Casa debaixo da terra, no cimo da árvore.Casa no sexto andar ou no rés-do-chão.Casa grande, com jardim e piscina.Casa pequenina que cabe na mão. Casa com peixe encarnado,Casa com gato,Lire la suite « Casa de papel »

A minha casa é uma prisão

A minha casa é uma prisãoBonita, sofisticada, ordenada.Com toalhas de linho, loiça de porcelana e copos de cristal.Com gente elegante e educada.– As crianças? Não as ouço…– Não se preocupe, não há alvoroço. A minha casa é uma prisãoNumas águas furtadas com uma vista deslumbrante E um gato sempre a brincar.16 metros quadrados para dormir,Lire la suite « A minha casa é uma prisão »

Nervos à flor da pele

Pandemia, paramédicos, paranóia,Febre, tosse, exaustão.Falta o ar, faltam testes, falta tudo.Dúvidas… muita imaginação. Clausura, solidariedade, (des)união.Rebanho sem pastor,Nenhum país tem a solução. E quando ninguém se entendeO divino sobrepõe-se à razão. Ricos, pobres, louros, morenosGordos, magros, solteiros, casados.Do Sul, do Norte, de todo o lado! Crianças, jovens e velhos.Contam-se os vivos,Enterram-se os mortos.E cada qualLire la suite « Nervos à flor da pele »

Créez votre site Web avec WordPress.com
Commencer