A melodia das cotovias

Morre de sofrimento esta família que se esconde por detrás dessa janela, igual a tantas outras. Outrora alegre, esta casa está triste e melancólica, afogada nas memórias do passado. Não é azul, mas sim preta a cor que a rodeia. O vaso está quebrado, as flores murcharam e o olhar do gato ficou transparente, insípido.Lire la suite « A melodia das cotovias »

Triste fim de vida

Dedico este texto aos idosos, às pessoa de idade, aos velhotes, aos velhinhos. Deixemo-nos de eufemismos e chamemos-lhes simplesmente… velhos! Cada um deve assumir a sua idade sem medo nem pudor. Mais difícil que envelhecer é aceitar que o corpo muda e a cabeça também, embora a ritmos diferentes. O tempo, às vezes, pode serLire la suite « Triste fim de vida »

Viver o presente

Quantas vezes sofremos por antecipaçãoPintamos o futuro de negroColocamos a carroça à frente dos boisPerdemos a razãoE depois?Não acontece nada do previstoOs seres humanos não são máquinasE a vida não segue um código escritoAinda bemTentemos não pensar muito no passadoNem no futuroAproveitemos o melhor que o presente tem. Filipa Moreira da Cruz

Sangue, suor e lágrimas

Durante os quase 8 anos que vivi em Paris conheci vários libaneses, tendo ficado amiga de alguns. Recordo-me bem do dono da padaria no XVIème arrondissement e nunca me esquecerei do médico que trouxe ao mundo os meus dois filhos. Os libaneses não viram as costas à pátria e têm prazer em partilhar as históriasLire la suite « Sangue, suor e lágrimas »

Créez votre site Web avec WordPress.com
Commencer