Dor

De repente, cai a máscara!Eu já não sou eu… E ainda bem!Esqueço os medicamentos e as dores,Atraso o relógio porque ainda não é hora. Dissimulo a angústia quotidiana,Retardo os efeitos secundários,Saboreio cada instante – porque seiQue este momento pode ser o último. Volto a ser criança e sou livre!Para correr, saltar, dançar.Fazer trinta por umaLire la suite « Dor »

Créez votre site Web avec WordPress.com
Commencer