Algumas expressões Portuguesas

Há mudanças que são um bico de obraCada situação é um pau de dois bicosConseguir o que se quer nem sempre é pêra doceCertas pessoas contam histórias do tempo da Maria CachuchaUmas acreditam, outras torcem o narizA maioria não me chega aos calcanharesSe pensas que fazes melhor, tira o cavalinho da chuvaPouco importa! Perdido porLire la suite « Algumas expressões Portuguesas »

A importância da língua materna

Todos os anos, a 21 de Fevereiro, celebra-se o Dia Internacional da Língua Materna. Esta data foi aprovada pela Assembleia Nacional das Nações Unidas em 2002, embora tenha sido anunciada, pela primeira vez, em 1999, em homenagem ao Paquistão. Este país foi criado em 1947 e, na altura, o governo decidiu que o urdu seriaLire la suite « A importância da língua materna »

De geração em geração

Enquanto o menino olha pela janela e sonha em ser ave, flor ou raposa a professora ordena:– João, faz a lição!Ele regressa ao i esguio e arrebitado, desejando estar lá fora, do outro lado.O João cresceu e cortaram-lhe as asas. Esmoreceu.Em família de doutores e engenheiros ser amigo de bicho está fora de questão!Casou, teveLire la suite « De geração em geração »

carpe diem

O mês de dezembro foi peculiar e o dia do meu aniversário foi passado entre o apartamento onde vivo e uma excursão a quatro até ao centro de rastreio Covid. Uma semana antes tínhamos estado em casa de dois familiares do meu marido que confirmaram, mais tarde, serem positivos. Confesso que, na altura, ninguém tinhaLire la suite « carpe diem »

« Estou farta deste vírus! »

Et voilà, o dia 1 de maio também esteve de quarentena. A “fête du travail” celebra-se no país galo desde 1793 e é quase tão importante como o 14 de julho (dia nacional). Pela primeira vez, não houve festejos nem desfiles da CGT ou da “France Ouvrière”. Neste mesmo dia, celebra-se outra festa: a doLire la suite « « Estou farta deste vírus! » »

O vírus com várias cores

No país onde vivo há três assuntos tabu: a política, a religião e o dinheiro. Paradoxalmente, os nativos têm opiniões bem formadas acerca dos três e expõem-nas com facilidade nas redes sociais ou em conversas de café, mas raramente em reuniões familiares. Os franceses adoram comentar a atualidade política e criticam todos os partidos: daLire la suite « O vírus com várias cores »

Créez votre site Web avec WordPress.com
Commencer