Carnaval dos animais

As araras mergulham de cabeçaO caracol avança a 100 à horaCheio de pressa!Pensam que é história?Ou conversa da treta?O sapo come cenouras frescasE fica à espreitaO lagarto bebe água e cospe fogoA borboleta escolhe as suas presasO peixe conta piadas de mau gostoA tartaruga brinca às escondidasO mundo está louco!E os animais fazem birras. FilipaLire la suite « Carnaval dos animais »

Crianças hiperativas ou pais hiper passivos?

Nos dias de hoje, « qualquer diferença torna-se uma patologia ». Quem o disse foi o pedopsiquiatra francês Thierry Delcourt. Segundo o mesmo, nos últimos 15 anos, o número de crianças diagnosticadas como hiperativas ou autistas aumentou consideravelmente e as políticas dos atuais governos contribuem (e muito!) para esta triste realidade. Em certos Estados Norte Americanos, 25% dasLire la suite « Crianças hiperativas ou pais hiper passivos? »

Amor sem espinhos

Não há bela sem senãoNão há alma sem coraçãoNão há rosa sem espinhosNão há metas sem caminhosNão há mar sem ondasNão há praia sem conchasNão há recompensa sem esforçoNão há festa sem alvoroçoNão há Outono sem chuvaNão há presença como a tuaNão há Verão sem calorNão há paz sem amorNão há queijo sem marmeladaNão háLire la suite « Amor sem espinhos »

Nostalgia do futuro

Ai se eu soubesseSer sol e luaCéu e marAi se eu soubesseFazer tudo sem pressaBem devagarAi se eu soubesseApagar as chamas do mundoCom garra e genicaAi se eu soubesseTransformar o planeta azul num segundoNo doce lar que nos abrigaAi se eu soubesseLidar com as saudadesSem dor nem tristezaAi se eu soubesseDar a volta às dificuldadesComLire la suite « Nostalgia do futuro »

Animais no parque

O coelho uiva ruidosamenteO lobo come erva lentamenteO papagaio nada energicamenteO cavalo voa suavementeO galo dança alegrementeO veado cacareja distraidamanteA pantera sonha placidamenteO elefante ri descaradamenteSó falta o leão fazer cócegas à formigaO mundo está loucoOs humanos deserteram a cidadeE os animais invadiram o parque. Filipa Moreira da Cruz Photos : Filipa Moreira da Cruz

Êxodo urbano

Durante vários séculos, a população trocou o campo pela cidade em busca de melhores condições de vida. Quando a terra deixava de ser fértil, voltavam-se as costas ao verde e abraçava-se o cinzento da metrópole. A tecnologia e a indústria prometiam sucesso e prosperidade. Mas nem todos se deixaram seduzir pela vida urbana e háLire la suite « Êxodo urbano »

Pangeia

E se não existissem fronteirasMarítimas, terrestres ou aéreas?E se houvesse uma única bandeiraDe várias cores e tamanhos?E se navegássemos todosNo imenso mar?E se comunicássemos Na mesma língua?E se fossemos apenasSeres humanos e imperfeitos?E se cuidássemos do nosso planetaComo se fosse a nossa última morada?E se deixássemos de terPara nos concentrarmos na essência do ser? FilipaLire la suite « Pangeia »

Identidades

Há uns dias, uma amiga ligou-me para partilhar uma boa notícia: acaba de obter a nacionalidade australiana. A meio da conversa disse-me que já não se sente apenas francesa, é uma mistura. Talvez só quem tenha passado vários anos num país que não é o seu a possa entender. De qualquer forma, até os queLire la suite « Identidades »

Quem disse…?

Quem disse que a água não tem sabor?Que o silêncio não se ouve?E que tudo tem cheiro?Quem disse que a relva é verde?Que o céu é azul ou cinzento?E que as nuvens são brancas?Quem disse que sucesso é ter dinheiro?Que não fazer nada é preguiça?Que solidão é estar só?Quem disse que o amor não dói?Lire la suite « Quem disse…? »

Créez votre site Web avec WordPress.com
Commencer