Jogo cromático

Reprise

Verde é a minha esperança
Num mundo mais justo
Azul são os sonhos infinitos
No céu que abraça as nuvens
Verde é a felicidade de rebolar na relva
Num dia de Primavera
Azul é o desejo de ternura
Como o mar que embala os barcos
Verde é a resiliência necessária
Para seguir em frente
Azul é a alma melancólica
Nos dias de chuva
Verde é o corpo nos dias
Em que espreita o sol.

Filipa Moreira da Cruz

Photos : Filipa Moreira da Cruz

El azul del mar

Photo : Paul Laurent Bressin

Todos los días son domingos
Lentos y perezosos
De esos en que hasta hacer nada
nos cuesta trabajo
Los enfados empiezan sin razón
Y terminan con un fuerte abrazo
Sin miedo, miramos hacia adelante
El horizonte es el único testigo
De nuestros sueños más íntimos
El tiempo no corre, vuela
Y la vida es un breve suspiro
¿A qué estamos esperando?
¡Salgamos a disfrutar del azul del mar!

Filipa Moreira da Cruz



Janela indiscreta

Photo : Paul Laurent Bressin

Da minha janela
A vista é singela
Oiço assobios de pássaros
Coleciono pedaços
Cheiro a fragrância da Primavera
Anseio pela doce espera
Da minha janela
A história é digna de uma novela
Um vaivém de gente
Todos seguem a corrente
Um rodopio, uma azáfama
Focos, luz e fama
Da minha janela
A vida é terna e bela
O mar está sempre presente
E eu sou a sua confidente
O sol ilumina os dias mais tristes
Basta-nos coisa pouca para sermos felizes.

Filipa Moreira da Cruz

Pintado de azul

Reprise

Azul intenso, profundo…efémero?
Néctar sublime e adúltero
Espelho grande, imenso, infinito
Que cabe no bolso para estar sempre comigo
Um mar de oportunidades
Um oceano de saudades
Um rio de emoções
Um riacho de sensações
Azul de Norte a Sul, de Este a Oeste
Percorreste o mundo, mas regressaste
Devolveste-me o que perdi
Trouxeste o que te implorei
Do meu universo és rei
E não quero viver sem ti.

Filipa Moreira da Cruz

Photos : Filipa Moreira da Cruz, KaDDD e Paul Laurent Bressin

O meu bairro

Reprise

Saint-Servan, praia Bas Sablons, torre Solidor
O meu bairro é mágico e especial
Areia dourada, água esmeralda
Do dia para a noite a paisagem muda de cor
Jogo de contrastes
Espelho de segredos.

Filipa Moreira da Cruz

Photos : Filipa Moreira da Cruz

Asas quebradas

Porque os homens são anjos nascidos sem asas, é o que há de mais bonito, nascer sem asas e fazê-las crescer.

José Saramago

O anjo voa, embora não tenha asas.
Quando a exaustão chega, adormece com a cabeça nas nuvens, ignorando as fortes brasas que lhe queimam os pés.
O seu corpo é um imenso mar azul.
A sua alma é dourada e leve como a areia da praia num dia de Verão.
Não sente calor nem frio.
Desconhece a fome e a sede.
Avista ao longe a cidade, mas prefere ausentar-se do seu bulício.
Todas as noites, visita os que nele acreditam e lhe encomendam doces sonhos.
Atira bem alto os medos alheios e devolve a esperança à Humanidade.

Filipa Moreira da Cruz

Photos : Filipa Moreira da Cruz


En el fondo del mar

La libertad es la possibilidad del aislamiento.
Si te resulta imposible vivir solo, naciste esclavo.

Fernando Pessoa

Sigue tu camino
Escucha tu corazón
El sabe cual es tu destino
La vida es una bendición
¿Quién dijo que iba a ser fácil?
Si te caes, velves a levantarte
Tu cuerpo es ligero y tu espíritu es ágil
Si no eres feliz aqui, no lo serás en ninguna otra parte
Mira el mar, azul y profundo
Es el espejo de nuestras vidas
El océano domina el mundo
Y nosostros somos hechos de cosas sencillas
¿ A qué esperas?
Cierra los ojos y respira hondo
Son tus guías tus piernas
Tirate a ese pozo sin fondo.

Filipa Moreira da Cruz

Photos : Filipa Moreira da Cruz

Abençoada loucura

Photo : Filipa Moreira da Cruz

Loucos são aqueles que ousam ser felizes
E pintam o dia com diferentes matizes
Fazem as pazes com o medo
A vida é um maravilhoso segredo
Prestes a ser desvendado
Esse tesouro tão bem aguardado
Cabe na mão, no peito
Embora de infinito seja feito
Loucos são aqueles que buscam a verdade
Em nome da tal liberdade
Perseguem sonhos
E falam baixinho com anjinhos
Acreditam em fadas
E partilham histórias inventadas
Guiam-nos por labirintos
Dispersos em vários recintos
Louca serei eu também
Por confiar de olhos fechados na minha mãe
Um amor ímpar e verdadeiro
Será sempre o primeiro
A nascer, a crescer, a voar
Libertando-se do céu e do mar
Uma estrela que brilha no firmamento
Solta, num total desprendimento.

Filipa Moreira da Cruz

Mar adentro

O mar é o habilidoso desenhador de ausências.

Mia Couto
Photo : Filipa Moreira da Cruz

Quando a alma está doente
E a esperança mais ausente
Tranquiliza-me o azul do mar
Sinto-me livre, quase a levitar
Sempre que a saudade me apodera
Mergulho numa quimera
Sou embalada pelas ondas
E esqueço palavras hediondas
Talvez seja o verde esmeralda
Que me tem mantido acordada
Ou será o reflexo na água
Que me devolve a esperança recuperada?
Afortunada sou eu por te ter ao meu lado
Mar adentro, mar abençoado.

Filipa Moreira da Cruz

23

Photo : Filipa Moreira da Cruz

1 mirada
2 besos
3 alitas de pollo
4 abrazos
5 de la tarde
6 tazas de té
7 olas del mar
8 fotos antiguas
9 ancianos charlando
10 dedos de la mano
11 de la noche
12 campanadas
13 que no sea un martes
14 amigos
15 calamares fritos
16 cucharadas
17 kilómetros
18 sueños infinitos
19 duendes
20 lágrimas
21 niños jugando
22 chistes
23 ¿otra vez?

Filipa Moreira da Cruz