Rosso

Dear mum, These flowers are for youWishing you here tooYou light up the saddest daysWithout whining or complaintsYou accept life as it comesYou believe in fairies and miracles So do I!I know you’re in good handsBeing alive is a blessing Breathing is a victoryWe’ve travelled around the worldMy head flying between the cloudsYour feet firmlyLire la suite « Rosso »

Comment ça va?

Esta questão é-me colocada várias vezes ao longo do dia. Os franceses têm-na na ponta da língua e respondem por automatismo: ça va. E eu não fujo à regra porque ninguém está interessado em ouvir um desabafo, uma apreensão. Ninguém tem tempo para lamurias nem queixas. Ninguém se preocupa com os problemas dos outros nemLire la suite « Comment ça va? »

Se não for Covid, pode esperar?!

Há uns dias ligou-me uma amiga. Finalmente (pensei)! A última vez que falamos ao telefone foi no início do ano. Depois dessa data enviei-lhe várias mensagens, mas nunca obtive nenhuma resposta. Quando atendi o telefone apressou-se a desculpar-se dizendo-me que estava muito ocupada. Com o quê? Não tem filhos e está em layoff desde novembro.Lire la suite « Se não for Covid, pode esperar?! »

Made in USA

A primeira vez que fui aos Estados Unidos tinha 14 anos. A minha mãe fez-me a surpresa e levou-me a Nova Iorque, uma metrópole fascinante com quase tantos habitantes que Portugal. Fiquei deslumbrada com a cidade que nunca dorme. Londres já me tinha conquistado, mas Nova Iorque superou todas as minhas expectativa porque consegue serLire la suite « Made in USA »

Nervos à flor da pele

Pandemia, paramédicos, paranóia,Febre, tosse, exaustão.Falta o ar, faltam testes, falta tudo.Dúvidas… muita imaginação. Clausura, solidariedade, (des)união.Rebanho sem pastor,Nenhum país tem a solução. E quando ninguém se entendeO divino sobrepõe-se à razão. Ricos, pobres, louros, morenosGordos, magros, solteiros, casados.Do Sul, do Norte, de todo o lado! Crianças, jovens e velhos.Contam-se os vivos,Enterram-se os mortos.E cada qualLire la suite « Nervos à flor da pele »

Voltar a aprender

O mundo está doente, a sociedade cheira a podre e os que por aqui andamos estamos meio (ou totalmente) perdidos. Chocam-me os atentados terroristas, os atos homofóbicos, xenófobos e racistas, o vandalismo e a destruição do património. A estupidez humana não tem limites. Mas acima de tudo, choca-me o que se faz contra o serLire la suite « Voltar a aprender »

Lockdown

How do you feel today?I feel tired, anxious, weird, afraid and lonelyFair enough…You’re experiencing a new situation But be reasonableConcentrate on good things You’re alive and healthyYou have a roof above your headYou may dance in the kitchen if you want toYou have foodYou have water to drink and also to take a showerYou haveLire la suite « Lockdown »

Créez votre site Web avec WordPress.com
Commencer